terça-feira, 31 de março de 2009

Beto Richa em Washington, no Banco Mundial

O prefeito Beto Richa embarcou ontem à noite para Washington. Vai participar da Semana de Energia 2009, evento do Banco Mundial, em Washington, EUA, que terá como tema principal Energia, Desenvolvimento e Mudanças Climáticas.

Hoje, Richa fará uma apresentação sobre Curitiba, com o tema Planejamento e Sustentabilidade, e participará de reunião sobre o projeto Eco² - Cidades Ecológicas como Cidades Econômicas, que será lançado durante a Semana de Energia. Curitiba é uma das sete cidades escolhidas pelo Banco para o desenvolvimento do projeto.

Fonte: Fabio Campana

segunda-feira, 30 de março de 2009

Mundo vive apagão voluntário

Milhares de pessoas em todo o mundo apagaram as luzes entre 20h30 e 21h30 de sábado (horário local) para protestar contra as mudanças climáticas e o aquecimento global. A manifestação, denominada Hora do Planeta é promovida pela ONG ambientalista WWF.
Justificar
Em Curitiba, a expectativa era de que a ação atingisse 125 mil pessoas. A prefeitura aderiu à campanha e 11 pontos da cidade ficariam no escuro por uma hora: Teatro do Paiol, Fonte dos Anjos, Torre da Biodiversidade, Estufa do Jardim Botânico, Linha Verde (monumento de bambu), as fontes das praças Santos Andrade e Generoso Marques, portais de Santa Felicidade e Polonês, pista de atletismo da praça Osvaldo Cruz, e cancha polivalente da Praça Ouvidor Pardinho.


Fonte: Gazeta do Povo

quinta-feira, 26 de março de 2009

Beto a frente em pesquisa

Nada como começar o dia e ver estampado na página inicial de um dos maiores portais de notícias do país, uma reportagem que aponta o levantamento do Instituto Datafolha: "o prefeito reeleito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), é o primeiro, com nota 7,8". Este resultado faz parte do primeiro raking de prefeitos do Brasil no atual mandato (desde janeiro de 2009). É bom salientar, que Beto já esteve a frente nesta avaliação durante todo o mandato passado (2004-2007). Segundo o diretor do Datafolha, Mauro Paulino, este quadro pode refletir nas candidaturas para o governo do estado. "Richa, Luizianne (Fotaleza - CE) e Fogaça (Porto Alegra - RS) são cotados para os governos de seus estados", declara.



Datafolha

A pesquisa, realizada em nove capitais, avaliou os prefeitos a partir de uma nota de 0 a 10 dada pelos entrevistados. O resultado foi obtido a partir da média de cada um.




Fonte: Jornal Folha de S. Paulo e Folha Online
Imagem: banco de dados JPSDB Curitiba

quarta-feira, 25 de março de 2009

Presente de aniversário a Curitiba: respeito com a história e o patrimônio de Curitiba

O prédio do antigo Paço Municipal, localizado à Praça Generoso Marques no Centro de Curitiba, o único de Curitiba tomabado pelo patrimônio histórico nacional, está na fase final de sua reforma, que custou cerca de 5 milhões de reais, numa parceria entre a Prefeitura de Curitiba e o SESC.

O prédio será reaberto no próximo dia 29 e será um espaço cultural, para caravanas estudantis, pessoas interessadas em artes e com um centro cultural que contará com salas de cinema, atos, músicas e abrigará no último piso um museu com os móveis do gabinete do ex-prefeito Cândido de Abreu.

O "Paço da Liberdade SESC Paraná" ficará aberto de terça a domindo desde a manhã até as 22 horas.

Fonte: Gazeta do Povo

Folha de São Paulo: Governador Tucano é o melhor do Brasil

O Governador de Minas Gerais e um dos principais candidatos a Presidência da República nas eleições de 2010, Aécio Neves é, segundo o ranking da Folha de São Paulo o melhor Governador do Brasil.

Mais uma vez nos orgulhamos de sermos tucanos. É o PSDB mostrando que é a favor do Brasil!

Crise ou marolinha?

Até a revista Carta Capital, um dos maiores veículos de propaganda petista e pseudo-socialista, caiu na real, e tem como reportagem de capa um dos principais efeitos da crise econômica no Brasil: o desemprego.
A revista afirma que desde 1957 o mundo não sofria com tanto com fechamento de postos de trabalho e que só no Brasil foram mais de 700 mil pessoas perderam o emprego. A reportagem afirma que das principais capitais do país apenas Curitiba não apresentou aumento na taxa de desemprego, segundo IBGE, o índice de desemprego subiu de 6,8% em dezembro para 8,2% em janeiro nas seis das principais regiões metropolitanas do País (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre).

A reportagem ressalta que "o contingente dos sem-trabalho somou 2,62 milhões de cidadãos. A indústria foi o setor que mais demitiu, com redução de 79 mil ocupações, ou 2,9% do total. Seguiram-se construção civil (31 mil, ou 3%), serviços (90 mil, 1%) e outros (16 mil, 1,1%). "

É, até quem sempre defendeu o Governo Lula percebe que é momento de apertarmos os cintos e tomarmos providências reais para o combate à crise, quem parece que ainda não percebeu isso é o próprio Governo Federal. ACORDA LULA!

domingo, 22 de março de 2009

Beto Richa lidera pesquisa para o Governo do Estado


O Prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB) lidera as intenções de pesquisa para o governo do Paraná em todos os cenários propostos, o Instituto Datafolha ouviu 1.038 pessoas no em todo o estado.
Veja os cenários da pesquisa, segundo o site de notícias G1.com:

Veja como seria o cenário se o PT não apresentasse candidato e com Beto Richa à frente do PSDB:
Beto Richa (PSDB) - 39%
Osmar Dias (PDT) - 31%
Orlando Pessuti (PMDB) - 7%
Rubens Bueno (PPS) - 6%
Em branco/nulo/nenhum - 10%
Não sabe - 7%

Veja como seria o cenário se o PT apresentasse candidato e com Beto Richa à frente do PSDB:
Beto Richa (PSDB) - 52%
Rubens Bueno (PPS) - 10%
Orlando Pessuti (PMDB) - 8%
Paulo Bernardo (PT) - 4%

Em branco/nulo/nenhum - 16%
Não sabe - 11%

Nos demais cenários sem o Prefeito Beto Richa, o PSDB também venceria as eleições!

quarta-feira, 18 de março de 2009

PSDB: unido e forte!


Recebidas pelo presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), lideranças nacionais da oposição, formada por representantes do PSDB, DEM, PPS e também do PMDB se encontraram em Recife. O evento foi mais um sinal de união do PSDB, pois contou com a presença de dois dos maiores líderes do Brasil, os Governadores de Minas Gerias e São Paulo, Aécio Neves e José Serra, respectivamente.

Sobre o encontro, o Presidente do PSDB, Senador Sérgio Guerra disse: "Eles vão continuar a aparecer juntos em eventos do PSDB. Como ficou demonstrado pelo dois, vai perder quem apostar na nossa divisão", observou o presidente do PSDB. Para Sérgio Guerra, o evento de ontem "confirmou à opinião pública que a oposição caminha firme para aperfeiçoar o processo democrático e de participação popular".

Entre os eventos do dia em Recife, o ocorrido na sede do PSDB de Pernambuco reuniu 30 prefeitos, deputados estaduais e vereadores da legenda, além de políticos de expressão nacional como o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), o deputado federal Raul Henry (PMDB) e o senador Marco Maciel (DEM).

Fonte: Agência Tucana

terça-feira, 17 de março de 2009

Ver. Omar Sabbag Filho faz seu primeiro pronunciamento na Câmara Municipal


Em seu primeiro pronunciamento da legislatura vereador e Presidente do ITV de Curitiba, Omar Sabbag Filho, levou à tribuna da Câmara de Curitiba, nesta segunda-feira (16), reflexões sobre a história de Curitiba, a trajetória da Câmara e a importância do Legislativo.
Um dos pontos altos de sua participação foi a sugestão da criação de um parlamento metropolitano, pela melhoria da qualidade de vida não só em Curitiba, mas também nos municípios vizinhos.
Leia o seu pronunciamento na íntegra: http://www.cmc.pr.gov.br/ass_det.php?not=12327#
Fonte: Câmara Municipal de Curitiba

sábado, 14 de março de 2009

Requião tenta manipular a opinião pública, diz Rossoni

De Paranavaí, onde participa da feira agropecuária, o deputado Valdir Rossoni, do PSDB, rebateu com veemência as críticas do governador Roberto Requião feitas aos deputados que votaram contra a PEC, derrubada nesta semana na Assembléia.

“O governador quer manipular a opinião pública. Usando as dificuldades dos trabalhadores para tentar justificar a incompetência e a inoperância do seu governo”, disse.

Rossoni afirmou que “seria insanidade não defender os empregos dos paranaenses”, mas alertou que em situação de crise é preciso agir com cautela para não “colocar com uma mão e tirar com duas.” Segundo o deputado, ao defender a PEC o governador não conseguiu convencer que está preocupado com a situação dos trabalhadores diante da crise .

“Um governo, em momento de crise, não aumenta impostos, e sim diminui, como fez o governo federal, como aconteceu em São Paulo. Enquanto que aqui no Paraná teremos, a partir do mês que vem, aumento de impostos da energia elétrica, do telefone, dos combustíveis.”

Clube da Gente: mais uma conquista da população curitibana

O prefeito Beto Richa vai entregar no sábado (14), o Clube da Gente Bairro Novo, o primeiro de uma série de oito complexos aquáticos que serão entregues até 2012 nas nove administrações regionais de Curitiba. O novo equipamento oferecerá à população piscinas aquecidas para aulas de natação e de hidroginástica. Também haverá aulas de ginástica e de condicionamento físico.


O Clube da Gente, que fica próximo ao Ginásio de Esportes Bairro Novo, ocupa uma área de 2.645 metros quadrados, sendo que 517 metros quadrados são destinados para as piscinas. O espaço tem vestiários, áreas de múltiplo uso para aulas teóricas, palestras, ginástica e aquecimento. O centro conta com uma área para atendimento da Fundação de Ação Social (FAS) e da secretaria municipal da Saúde.

Uma das piscinas é semi-olímpica, com 25 metros de comprimento, oito raias e 1,3 metro de profundidade. A outra tem 10 metros por 10 metros e 1,1 metro de profundidade. A partir do dia 16, os professores especializados farão atendimentos entre 7h e 21h30, oferecendo aulas de iniciação, níveis médio e avançado de natação. As aulas de hidroginástica serão oferecidas, preferencialmente, aos idosos, como complemento de atendimento médico. As aulas de ginásticas serão abertas a toda comunidade.

Fonte : Agora Paraná

quinta-feira, 12 de março de 2009

Um governo disfuncional

A colheita que o governo Lula fez de tudo aquilo que foi plantado no governo Fernando Henrique acabou. E o que sobrou? E o que foi plantado novamente para o Brasil? Nada. Nenhuma reforma, nenhuma mudança de vulto, nenhum projeto de país. O resultado começa a aparecer.

Do editorial do jornal Estado de São Paulo de 12 de março de 2009

Há uma amarga ironia na coincidência da divulgação do tombo de 3,6% sofrido pela economia brasileira no último trimestre do ano passado com a revelação, no Estado de ontem, de que o governo devolveu ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) um financiamento de US$ 57 milhões para obras de infraestrutura em uma centena de municípios, porque simplesmente não conseguiu gastar o dinheiro. Guardadas, embora, as devidas proporções, o caso dos recursos inaproveitados indica que, enquanto o País crescia a taxas robustas - beneficiado por uma excepcional conjuntura de prosperidade global -, a sociedade em geral não se dava conta do fraco desempenho do governo Lula em fazer a sua parte pelo progresso nacional - impulsionado, desde a sua inauguração em 2003 até o malfadado setembro de 2008, quase que exclusivamente pelo excepcional desenvolvimento da economia globalizada.O aluvião de discursos triunfalistas com que o presidente proclamava a sua suposta paternidade da expansão econômica e o incessante festival de eventos fabricados para levar os brasileiros a crer nas realizações de um Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) diariamente colocadas sob a lente de aumento da propaganda do Planalto também contribuíram para jogar areia nos olhos da opinião pública, escondendo o abismo entre a exuberância do palavreado oficial e a disseminada incompetência da máquina federal sob o lulismo. O episódio do financiamento desperdiçado do BID envolve metas e cifras relativamente modestas. Tanto pior, portanto, como evidência de torpor administrativo e incapacidade gerencial. É uma história exemplar de desgoverno.Em 2004, no quadro do Programa de Ação Social em Saneamento (Pass), o Brasil assinou com a instituição financeira regional um contrato que previa, com a contrapartida de recursos próprios da União, investimentos totais de US$ 95,5 milhões para obras de esgoto e tratamento de água em 129 cidades, onde seriam ainda criadas empresas para a fiscalização e manutenção dos serviços. Pois bem. Passou-se um ano até que saísse a licitação para a contratação da firma que cuidaria do programa, conforme exigência do órgão financiador. E apenas em 2006 começou a escolha dos municípios a serem beneficiados, de acordo com critérios como população, localização geográfica e posição no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das Nações Unidas. A intenção era canalizar os investimentos para localidades pequenas e carentes em áreas mais atrasadas, como o semiárido nordestino.Iniciou-se em seguida no governo um debate decerto bizantino sobre vincular, ou não, o Pass ao PAC. Em 2008, decidiu-se que o programa abrangeria apenas seis municípios. Uma obra foi começada, duas licitações realizadas e os demais editais preparados - antes que tudo fosse suspenso. Depois de profundas reflexões, é de se presumir, concluiu-se que sairia caro demais manter o acordo com o BID para atender não mais de meia dúzia de cidades (nas outras, as obras se incorporariam ao PAC). Na semana passada, enfim, resolveu-se acabar com o Pass e restituir ao Banco o valor disponível, do qual haviam sido aproveitados, ao cabo de quatro anos, US$ 2,5 milhões para aplicação em um único município (Limoeiro do Norte, no Ceará). Ocorre que a instituição cobra uma taxa de compromisso quando o crédito contratado permanece ocioso - e o governo teve de desembolsar a esse título US$ 570 mil por ano. A troco praticamente de nada. Segundo o Ministério das Cidades, responsável pelo projeto cancelado, o PAC assumirá as obras "sem prejuízo do cronograma". O retrospecto é mais do que suficiente para se descrer da promessa. Provavelmente, como costuma acontecer, tudo recomeçará do zero. Nesse governo, continuidade assegurada é a da discurseira do seu chefe. Não surpreenderá se ele tentar, junto ao povo, neutralizar a golpes de retórica o impacto do mergulho do PIB no final de 2008, que remove a aura do Brasil como o grande caso à parte no desaquecimento econômico global. A propalada excepcionalidade brasileira caminha para virar mito. Também entre nós já se fala em "recessão mais longa e profunda do que se esperava", enquanto no exterior já se ouve que "o Brasil não fugiu à regra". Contra isso pouco podem a jactância do presidente e o seu governo cronicamente disfuncional.

quinta-feira, 5 de março de 2009

1,3 milhão de alunos sem merenda nas escolas estaduais do Paraná

As 2.100 escolas estaduais do Paraná ainda não receberam merenda em 2009. São pelo menos 1,3 milhão de alunos prejudicados. A última remessa do governo federal foi em agosto do ano passado.
O motivo do descaso é a burocracia. O governo estadual diz que já reservou cerca de R$ 50 milhões de reais para a alimentação dos estudantes, mas a verba está emperrada por conta de problemas licitatórios. A verba liberada até agora é insuficiente para as refeições.
Enquanto isso, as escolas buscam alternativas. Na escola estadual Olavo Del Claro, no bairro São Braz, a associação de pais e mestres doou o dinheiro necessário para comprar legumes, verduras, frutas e carnes.

Fonte: Fabio Campana

segunda-feira, 2 de março de 2009

Crise econômica

O prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), afirmou na sexta-feira (27), que a crise econômica internacional não afetará os investimentos da Prefeitura na área social, especialmente nos serviços de saúde e educação. “Estamos adaptando o orçamento da cidade e cortando despesas internas para que nenhum serviço à população seja afetado”, disse Richa. No dia 29 de janeiro, o prefeito assinou um decreto determinando a redução de 15% em todas as despesas internas da Prefeitura. São gastos com água, luz, telefonia, combustíveis, material de escritório, entre outros. Desde o começo do ano as secretarias e órgãos municipais já estavam recebendo os recursos reduzidos e precisaram enxugar os gastos internos para se adaptar ao novo limite.

Em 7 anos MST recebeu quase R$ 50 milhões do Governo Federal

Apesar da queda no dinheiro repassado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) desde 2004, a entidade recebeu mais de R$ 49,4 milhões do Governo Federal. Nesta semana, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, condenou o repasse de verba pública para movimentos sociais que invadam terras.
Para Mendes, o financiamento público de movimentos que cometem ilícitos é ilegal e ilegítimo. “No Estado de Direito, todos estão submetidos à lei. Não há soberano. Se alguém pode invadir, sem autorização judicial, ele se torna soberano, logo, está num quadro de ilicitude”, afirmou.
Nos últimos sete anos o MST promoveu mais de 300 invasões a propriedades privadas.

2010 : Sucessão Presidencial

Uma pesquisa recém-concluída e inédita do Vox Populi cravou o piso da candidatura Dilma Rousseff em torno dos 30%. Esse total é a soma dos eleitores que votam no PT mais os que votam sem restrições em quem Lula indicar.
Para crescer acima desses 30%, aí, sim, vão pesar a qualidade da campanha e a empatia da candidata, hoje com cerca de 14% das preferências. João Santana, marqueteiro de Lula e uma das cabeças por trás da modelagem da Dilma-candidata, tem dito no Planalto que o ideal é que sua subida nas pesquisas ocorra lentamente até o início do ano que vem.
Se ela terminar o ano com uns 20%, estará de bom tamanho, segundo avalia”.

O Presidente de Honra do PSDB, ex-presidente FHC, identifica esse crescimento como: " O descolamento entre a politica e a realidade das pessoas."
"As oposições, além de articularem um discurso programático [...], deverão expressá-lo de forma a sensibilizar o eleitorado, é preciso buscar os temas da vida que interessem ao povo”.

Fonte: Fabio Campana