sexta-feira, 29 de julho de 2011

Muitas felicidades Beto!



A Executiva Estadual da Juventude do PSDB e todos os diretórios e grupos de jovens tucanos do Paraná desejam felicidades ao governador e presidente do PSDB-PR Beto Richa.

São os votos de jovens que direta ou indiretamente admiram o seu trabalho como líder tucano de expressão nacional, ético e comprometido em solucionar as demandas da população do Estado.

Desejamos muita saúde e dedicação - para que os muitos anos de vida que ainda virão – sustentem a continuação do esforço em prol do bem estar das famílias paranaenses.

A Juventude do PSDB-PR, que sempre foi incentivada e avalizada por este jovem de 46 anos, está ao seu lado na caminhada pelo novo jeito de governar!

Parabéns Beto!

terça-feira, 26 de julho de 2011

53 obras paradas em 20 universidades federais?

Por Raul Christiano

Durante o governo FHC, muitos acadêmicos luloPTistas escreviam artigos e mobilizaram manifestações e greves contra o projeto de modernização e a valorização docente com gratificações de incentivo às aulas em classe nas universidades federais. A União não podia bancar a necessidade da abertura de vagas nas universidades públicas e o Ministério da Educação incentivou que o capital privado o fizesse.
Quando Lula assumiu o governo em 2003, retomou o discurso político-sindical das corporações universitárias, suspendendo os investimentos em equipamentos e modernização das Ifes – Instituições Federais de Ensino Superior, para criar o Prouni, que nada mais é do que a “compra” de vagas no ensino privado que sempre combateram, e anunciar novos campus de faculdades públicas em diversas regiões do país.
Essa operação, do ponto de vista dos que ainda acreditam no luloPTismo, foi uma resposta ao que chamavam de sucateamento e privatização das universidades federais? Preservada a autonomia universitária apenas na cátedra e subordinada ao regime único do servidor público? Autorização de obras de moradias estudantis, laboratórios e salas de aulas sem planejamento, apenas para promover eventos de lançamento de pedras fundamentais e ficar bem na foto ao lado da então “mãe do PAC” Dilma Rousseff?
Pois é. Hoje o jornal “Estado de São Paulo” destaca em manchete que a “Expansão de universidades federais tem 53 obras paradas”. Os campus novos da era Lula estão cheios de gambiarras e o “sucateamento” de antes do luloPTismo pode ser chamado agora de favelização do ensino superior público federal.
Nunca acreditei que elles seriam mais capazes de governar o Brasil!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

PROGRAMA DE FORMAÇÃO POLITICA E DE QUADROS DA JUVENTUDE DO PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA

1. O que é?

Um programa completo de formação política, de maneira democrática e qualificada, para desenvolver o debate sobre os problemas sociais contemporâneos em toda a sociedade. O programa inicialmente debaterá sobre temas centrais e problemas locais, os mecanismos de gestão e governança, e o modelo social democrata para trazer soluções. Deste modo, o programa visa levar o debate político a todos os interessados, formar e qualificar novos quadros que se identifiquem com o projeto social democrata, discutindo política além da política.

2. Como funciona?

O programa se divide em três etapas:

· 2.1 Debates temáticos: realização de mesas redondas e debates, com patronos que compõem os quadros do PSDB e que possuem amplos conhecimentos nas áreas discutidas. Os temas são:

a) Economia;

b) Promoção social, terceiro setor evoluntariado;

c) Políticas educacionais;

d) Saúde;

e) Meio ambiente e desenvolvimento;

f) Esporte;

g) Cultura e acesso à informação;

h) Relações internacionais;

i) Segurança pública.

· 2.2 Política na teoria e prática: seminários e/ou cursos realizados sobre Estado, teorias do Estado, formas de governo, sistemas eleitorais, gestão pública, comportamento eleitoral, economia política, planejamento, entre outros temas.

· 2.3 Formação de candidatos: seminários e ou cursos sobre gestão e execução de campanha, formação ideológica e construção de know-how de campanha conforme o viés social democrata.

3. Quem pode participar?

A primeira etapa é aberta a toda a sociedade interessada, e a segunda e terceira etapas estão restritas aos quadros do partido.

4. Quando e onde será realizado?

As datas estão sendo definidas, mas serão realizadas nos fins de semana para as duas primeiras etapas, e em sistema de imersão na terceira etapa. Todo o programa de formação será realizado na sede do PSDB Paraná.


Quadro I - Temas, patronos e moderadores

Tema

Economia

Promoção social, terceiro setor e voluntariado

Políticas Educacionais

Saúde


Esporte

Patrono

Luiz E. Sebastiani

Fernanda Richa

Flávio Arns

Michele Caputo Neto


Evandro Roman

Moderador

Paulo Kruger

Jeulliano Pedroso

Carlos Pijak

Joari S./ Guilherme Graziani


Marcello Richa/ Felipe Nasser

Tema

Desenvolvimento, Meio Ambiente

Cultura e Acesso a informação

Relações Internacionais

Segurança

Patrono

Omar Sabbag

Rodrigo Fornos

Luiz Carlos Hauly

Fernando Francischini

Moderador

Bruno Scalco

Cesar Vasco

Isabelle Ferreira/ Paulo Horacio

Leonardo Laux / Bruno Zavataro

sexta-feira, 15 de julho de 2011

A ética do vale-tudo

Por José Serra

Publicado em O Globo em 12/07/2011

Os escândalos no âmbito do Ministério dos Transportes, em licitações da Petrobras, na área elétrica (Furnas), na prefeitura de Campinas e até nas obras de recuperação de regiões devastadas pelos temporais no Rio têm despertado indignação na imprensa e na opinião pública. O andamento do processo do “mensalão”, no STF, sem dúvida, reforçará a atenção a esses malfeitos recentes.

Não pretendo aqui voltar aos eventos em si, bem relatados por revistas, jornais e noticiários de rádio, TV e internet. Restrinjo-me a comentários sobre mitos subjacentes nas análises dos fatos.

O primeiro mito é o de que, no tocante às questões federais, trata-se “de herança do governo Lula, que a administração Dilma começa a combater”. É uma meia-verdade: a herança maldita é do governo Lula-Dilma para o governo Dilma; de um governo do PT e seus aliados para outro governo do PT e seus aliados. “Começa a combater”? Os escândalos na esfera federal, como no caso dos Transportes, não foram apontados pelo próprio governo ou pela oposição, mas pela imprensa. E seus eventuais desdobramentos parecem ser alimentados hoje pelas ameaças e contra-ameaças dos próprios protagonistas dos malfeitos.

Outro mito tem a premissa de que “todos os governos sofrem esse drama do fatiamento dos cargos, que leva à corrupção”. Nem tanto! Isso depende das atitudes dos que nomeiam, dos que mandam, e do comportamento do próprio partido-eixo do governo, começando pelo presidente. Uma coisa é a composição política, inevitável num presidencialismo de coalizão, como o denominou Sérgio Abranches. Outra é transformar a política num verdadeiro mercado, formal ou paralelo, de negócios.

Por que é assim? Não estamos diante de um tema fácil, de caracterização totalmente objetiva. Há um fator aparentemente intangível, que tem grande importância explicativa. Desde a sua fundação até chegar ao poder, o PT aparecia como o verdadeiro depositário da ética na vida pública, embora seu desempenho à frente de algumas prefeituras sugerisse que o título não era tão merecido.

O comportamento do PT no poder federal – o oposto do discurso de quando estava na oposição – criou um clima na base de “Deus está morto” na vida pública. E, se isso aconteceu, então não haveria mais pecado. Eu acompanhei de perto a metamorfose petista, em toda sua envergadura, e estou plenamente convicto do seu impacto devastador sobre os padrões da política brasileira.

Depois de um ano da primeira eleição de Lula, analisando o que já se delineava como estilo de governo, qualifiquei o esquema partidário petista como uma espécie de bolchevismo sem utopia, em que a ética do indivíduo é substituída pela ética do partido. Em nome desse partido, tudo vale, tudo é permitido, tudo é justificável. Essa é a lógica que embasou a proclamada “mudança” do petismo. Uma mudança, obviamente, para pior no que concerne à vida pública.

Na administração pública, quando o mau exemplo vem de cima, não há moralidade que resista. Isso se expressa de forma perfeita nos gestos de Lula e de seu partido, que passaram a mão na cabeça dos líderes do mensalão e dos aloprados, reabilitando-os, e até de malfeitores de partidos aliados. Por que não ser compreensivos e carinhosos com aqueles que foram “vítimas” de excessos ou inabilidades “perdoáveis”? Criminosos foram tratados como vítimas da imprensa e de supostas conspirações intra ou interpartidárias, como se, na origem dos desmandos, não estivesse o desvio de recursos públicos.

O desenfreado mercado de trocas entre dinheiro público e apoio político, que lesa os contribuintes, não decorre do sistema político brasileiro, como gostam de asseverar alguns analistas, ainda que o aperfeiçoamento dos controles possa contribuir para alguma melhora na situação. É consequência da ação de partidos e de pessoas, capazes de degradar a política em qualquer sistema. Essa degeneração de valores não conduz a uma forma eficiente e estável de governar, até porque o fatiamento de cargos e as chantagens tornam-se sem limites, contemplando mais e mais facções e subfacções, alastrando-se de forma descontrolada por todas as esferas da administração pública, acentuando a falta de planejamento e de rumos do governo.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Nota de Repúdio

É com grande insatisfação que a Juventude do PSDB de Curitiba (JPSDB Curitiba) recebeu a notícia da perda de R$ 35 milhões em recursos federais que seriam utilizados em projetos urgentes e necessários para Curitiba.

Conforme noticiado pelos veículos de comunicação, o deputado federal Fernando Giacobo (PR), Coordenador da Bancada Paranaense na Câmara Federal, por sua própria vontade, cancelou emendas parlamentares de inúmeros deputados federais destinadas à diversas melhorias em Curitiba, compromisso esse já firmado com o população curitibana.

A Linha Verde, que seria contemplada com esta verba perdida, é um grande projeto urbanístico que visa dar dinamicidade ao trânsito de várias cidades da Região Metropolitana, bem como permitir uma verdadeira integração das populações destas cidades como via de ligação entre os Municípios e um sistema de transporte público integrado, rápido e eficiente.

Não obstante, a área verde que acompanha a via cria um verdadeiro parque linear como forma de conexão intermunicipal, propiciando lazer e práticas saudáveis nas áreas de circulação de pedestres e nas ciclovias. Uma grande obra que com certeza se tornaria modelo de harmonia entre meio urbano, meio-ambiente e ser humano. Um exemplo de união e integração de Curitiba com a Região Metropolitana.

Por isso tão desapontador quanto o cancelamento, foi a notícia de que estes recursos públicos foram autoritária e descaradamente destinados à base eleitoral do próprio deputado Giacobo. Enquanto Giacobo faz média “eleitoreira”, o povo curitibano fica sem verbas para projetos extremamente necessários à qualidade de vida dos cidadãos.

Este tipo de política do “toma lá dá cá” praticada pelo deputado serve apenas para impedir o avanço do país. Um evidente escárnio aos valores éticos que se espera de um parlamentar que deveria representar a população e não interesses particular.

A JPSDB Curitiba não corrobora esse descalabro. Aproveitamos para reafirmar nossos compromissos com a Democracia e a Moralidade, pilares de um Estado verdadeiramente Republicano que não podem ser desmontados conforme a vontade dos fisiologistas de plantão.

Assim, não poderíamos deixar de manifestar nossa imensa decepção. Entretanto, novamente reiteramos que desmandos como esse, serve apenas para impulsionar nossa luta. A JPSDB Curitiba permanece atenta e continuará lutando em prol de Curitiba, do Paraná e do Brasil.

Felipe Nasser Daher
Presidente da Juventude do PSDB de Curitiba

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Formação Política levará instrução para jovens


A Juventude do PSDB-PR se mobilizou e se comprometeu com a formação de novos quadros do partido neste sábado (9) no Lançamento do Programa de Formação Política, no Plenarinho da Assembléia Legislativa do Paraná (Alep), em Curitiba.

O presidente do PSDB-PR e Governador do Estado, Beto Richa, enfatizou a importância do segmento para o crescimento do partido. “A JPSDB-PR orgulha todos os tucanos paranaenses com o trabalho de orientação de jovens e de preparação de líderes para a vida pública. Continuaremos apoiando as ações da juventude que está dando sua contribuição para a sociedade”, disse o presidente.

O encontro reuniu as principais lideranças políticas do Estado e representantes de nível nacional, como o presidente da JPSDB Nacional, Marcello Richa, o representante da Juventude na Executiva Nacional, Wesley Goggi, o presidente da JPSDB Curitiba, Felipe Nasser Daher.

De acordo com o presidente da Juventude tucana do Paraná, Edson Lau Filho, a proposta do curso é levar a discussão sobre a importância da participação do jovem no meio partidário e oportunizar novos posicionamentos a partir da discussão de temas. “O programa avalizado pelo Instituto Teotônio Vilela do Paraná será iniciado em Curitiba e Região Metropolitana com a formação de mesas temáticas e no decorrer deste ano em todas as regiões do Paraná.”

No âmbito nacional, Marcello Richa garantiu a realização de cursos de formação política em conjunto com as juventudes estaduais. “Vamos levar o exemplo do Paraná para todo o país auxiliando as juventudes do PSDB nos Estados a realizarem o programa e também dar continuidade nos cursos que já estão sendo ministrados”, destaca o presidente da JPSDB Nacional.

O cronograma do programa será divulgado em breve.





Imagens: Guilherme Barba

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Atenção: Local definido!

A JPSDB-PR e Curitiba divulgam o local em que será realizado o lançamento do Programa de Formação Política da Juventude PSDB Paraná: Plenarinho da Assembléia Legislativa do Estado do Paraná (ALEP) - Praça Nossa Senhora de Salete s/n - Centro Cívico.

Lembrando que será realizado no próximo sábado, dia 09 de julho, as 15h!

Esperamos você!