sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Governador entrega Centro da Juventude em Toledo

O Centro Estadual da Juventude Marcio Antonio Bombardell faz parte do programa da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social e prevê a construção de 29 unidades no Paraná. “Esses centros são uma forma de manter os jovens longe das drogas”, avaliou o governador.

O primeiro centro da juventude de Toledo conta com amplo espaço esportivo, de lazer e área para cursos profissionalizantes e oficinas de arte. A construção da unidade é resultado da parceria do município com o Governo do Estado. São cerca de R$ 3 milhões de investimentos em equipamentos e infraestrutura.

Também faz parte do complexo um ginásio de esportes com quadra poliesportiva, piscina, sala de atividades, academia, salas para administração, vestiários e banheiros. As obras foram executadas com recursos financiados do Programa Paraná Urbano.

Com capacidade para receber 500 pessoas diariamente, o centro tem cerca de três mil metros quadrados e conta com equipe multidisciplinar de psicólogos, pedagogos e oficineiros. O coordenador da unidade, Rodrigo Gonçalves Leandro, disse que a proposta é trabalhar com formação profissional, convivência e cidadania. “Queremos os jovens protagonistas da suas histórias. Sem a ajuda do governo não seria possível construir esse prédio com tantos serviços”, disse.

Ele destacou que o centro cumpre o direito constitucional de acesso a lazer e educação. A expectativa é que até metade deste ano seja inaugurado ainda um segundo Centro da Juventude em Toledo. A nova unidade será construída no Jardim Coopagro e terá investimentos do Estado.




quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Na reabertura do Palácio Iguaçu, Richa nomeia 9.516 professores




O governador Beto Richa retomou nesta quarta-feira (25), em Curitiba, as atividades administrativas do Estado no Palácio Iguaçu, sede do Governo do Paraná desde 1954. Na reabertura do prédio, que ficou cinco anos fechado para reformas, Richa assinou a nomeação de 9.516 professores aprovados em concurso público para a rede estadual de ensino.

“Este é um ato que simboliza a prioridade absoluta deste governo, que é a busca permanente por um ensino público de excelência”, disse o governador, completando que estava “reabrindo as portas do Palácio Iguaçu para todos os paranaenses”. “O Palácio é símbolo maior da organização política e social do Estado do Paraná”, afirmou.

A reabertura ocorreu de forma simples, com a abertura de uma exposição de peças históricas. Estiveram presentes o ex-ministro Ivo Arzua, engenheiro responsável pelas obras do Centro Cívico, Caetano Munhoz da Rocha Neto e Suzana Munhoz da Rocha Guimarães, filhos do ex-governador Bento Munhoz da Rocha Neto, que construiu o edifício na década de 1950. Cerca de 200 pessoas acompanharam a reinstalação do governo no prédio.

PROFESSORES – Segundo o governador Beto Richa, com a nomeação dos novos professores para o quadro próprio do magistério e a antecipação da distribuição de aulas, que ocorreu em dezembro passado, o início do ano letivo ocorrerá de forma tranqüila para os 1,3 milhão de estudantes matriculados na rede estadual de ensino.

O vice-governador e secretário de Educação, Flávio Arns, ressalta que o compromisso da atual gestão é de tornar o quadro do magistério mais estável. Para 2012 está previsto um novo concurso público para professores. A intenção é que os contratos por meio do Processo Seletivo Simplificado (PSS) sejam feitos apenas para situações temporárias. “Sempre iremos necessitar dos professores vindos do PSS para substituírem os que saem de licença saúde, maternidade e outros tipos de situações”, ressaltou Arns.

Segundo o secretário, ao longo dos últimos anos os contratos feitos pelo Processo de Seleção Simplificado passaram a ser utilizados para suprir a defasagem do quadro efetivo do Estado. “Estamos recompondo o quadro do magistério e fortalecendo o ensino público estadual em várias frentes, entre elas as reformas e ampliações de escolas”, afirmou Flávio Arns.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Richa faz balanço das ações do primeiro ano de governo

O governador Beto Richa concedeu nesta semana uma série de entrevistas para emissoras estaduais de televisão e rádio para falar sobre ações realizadas no primeiro ano de gestão e projetos para 2012. Um dos principais temas abordados pela imprensa foi a segurança pública, que segundo as pesquisas é a maior preocupação dos paranaenses.

Ao avaliar a situação, Richa disse que a falta de investimentos nos últimos anos gerou índices de violência muito altos. Para alterar o quadro, o governador lembrou o lançamento do programa Paraná Seguro, que prevê a contratação de 10.200 policiais civis e militares e bombeiros, a instalação de módulos policiais, 95 delegacias e aquisição de viaturas equipadas com tecnologia embarcada.

No ano passado, Richa autorizou a contratação de 2.695 policiais civis e militares e 500 bombeiros. Para 2012, o orçamento da segurança vai totalizar R$ 2,1 bilhões. “Estamos investindo fortemente em inteligência, em pessoal e equipamentos. Os números mostram que já houve redução nos índices de criminalidade”, afirmou.

Ainda na área de segurança, Richa reafirmou que neste ano serão instaladas as primeiras Unidades do Paraná Seguro (UPS), para atacar os pontos mais críticos na Região Metropolitana de Curitiba e outros grandes centros urbanos. “Vamos liberar esses territórios do crime e entregar de volta às pessoas de bem”, disse.

Richa também ratificou a prioridade que será dada para as áreas de saúde e educação neste ano. “Na saúde, vamos cumprir as exigências da emenda 29 sem precisar aumentar os impostos”, disse o governador. O orçamento da área foi acrescido em R$ 340 milhões para 2012. “Contratamos mais de mil profissionais de saúde no ano passado e iniciamos a estruturação de hospitais. Nosso propósito é prestar serviços de qualidade aos paranaenses”.

EDUCAÇÃO – Sobre os investimentos em educação e a equiparação salarial de professores, Richa ressaltou que o cumprimento do compromisso com o magistério está assegurado e elogiou o trabalho desenvolvido pelo vice-governador e secretário Flávio Arns: “É um especialista nesta área e já percorreu todas as regiões do estado, promovendo encontros e reuniões com professores e comunidade para estabelecer o planejamento de ações”.

Richa lembrou que, em 2011, um dos grandes avanços do governo na educação foi a regularização da situação dos 35 mil professores que participaram do curso da Vizivali e há mais de oito anos aguardavam reconhecimento do diploma. “Também anunciamos R$ 126 milhões para ampliação, reforma e revitalização de muitas escolas estaduais, que estavam em situação bastante caótica. E queremos professores participando de cursos de aprimoramento e reciclagem, para que possam garantir um ensino de excelência para todos os alunos”, afirmou.

Outro avanço conquistado na área da educação foi o aumento dos recursos para o transporte escolar repassado às prefeituras, que passou de R$ 27 milhões para R$ 58 milhões. O governo também pagou avanços como promoções e progressões para professores, que estavam parados há três anos. “O primeiro ano foi para regularizar essas ações. Agora, com novo orçamento, teremos investimentos mais intensos”, disse Richa, lembrando que a área social terá total atenção do Estado.

INDUSTRIALIZAÇÃO – Outro tema debatido com jornalistas foi o retorno do processo de industrialização do Estado, que em um ano já atraiu R$ 9 bilhões em investimentos, que deverão gerar 50 mil empregos diretos e indiretos. Richa destacou que a criação do programa de incentivos Paraná Competitivo foi fundamental para a atração de empresas. “É um instrumento inovador”, disse.

“Somado a isso, houve uma mudança de postura no governo”, reforçou o governador. Segundo ele, o diálogo, o respeito, a transparência, investimentos públicos em infraestrutura e geração de energia têm possibilitado os novos investimentos. “Estamos negociando com grupos nacionais e estrangeiros investimentos que chegam a R$ 15 bilhões”, disse Richa.

Ele também citou que a liberação de licenças para construção de Pequenas Centrais Hidrelétricas vai estimular as economias de diversos municípios. “As obras vão gerar emprego em regiões carentes e mais energia para o Paraná. Muitas empresas estão confiando no novo governo, na segurança jurídica, neste ambiente favorável para negócios”, afirmou o governador.

INFRAESTRUTURA – Richa falou que os projetos de infraestrutura também passam pelo investimento público e pelo fortalecimento das empresas estatais. “A Copel e a Sanepar estão valorizadas e fortalecidas. As ações da Sanepar em bolsa se valorizaram em cerca de 60% no ano. É uma resposta do mercado ao novo modelo de gestão”, disse Richa.

Na infraestrutura, Richa disse que autorizou no final do ano passado a programa de obras de melhorias na malha rodoviária estadual que chegam a R$ 700 milhões. “Também retomamos a modernização dos portos paranaenses. Paranaguá e Antonina bateram recorde de movimentação em 2011”, destacou.

O governador também falou sobre o retorno do diálogo com as concessionárias de rodovias para acelerar obras previstas em contratos. Citou três exemplos de que o melhor caminho é a negociação: a duplicação na BR 277, no trecho Matelândia a Medianeira; a nova pista da mesma estrada em Campo Largo, para desafogar o tráfego na área urbana do município; e a construção do contorno de Mandaguari. “Esta obra de R$ 90 milhões não foi feita antes porque o Estado não cumpriu com a sua parte, que era investir R$ 5 milhões para desapropriar 47 imóveis”, esclareceu.

Richa lembrou que no ano passado autorizou uma obra de mais de R$ 100 milhões em Londrina, para a duplicação de aproximadamente 17 quilômetros da PR-445 que passa dentro do município. “Em valor, é uma das maiores obras que a cidade já recebeu”, explicou, ressaltando que está prevista a duplicação do trecho da PR-323, entre Maringá e Paiçandu. “Posteriormente vamos implantar terceiras faixas e acostamentos no trecho desta estrada que vai até a Umuarama”.

O governador pontuou que 2011 foi um ano de ajustes e que agora vai cobrar ainda mais resultados da equipe. “Fechamos o ano com economia de R$ 76 milhões no custeio da máquina, reorganizamos as finanças, retomamos o planejamento estratégico e agora vamos implantar novos programas do plano de governo”, disse ele.

DIÁLOGO – Nas entrevistas concedidas, Richa também foi questionado sobre a relação que mantém com o governo federal. “Tenho tido êxito no contato direto e pessoal com a presidente Dilma Rousseff e com os ministros”, afirmou o governador. Esta boa parceria, de acordo com ele, tem permitido colocar em andamento diversos projetos, em especial nas áreas de justiça e habitação.

O governador disse que também mantém uma boa relação com o funcionalismo público e que é sensível às demandas por aumentos salariais, avanços de carreira e gratificações. “As pressões são legítimas e sempre irão existir. As coisas vão se resolver com diálogo”, declarou.

Richa citou o exemplo dos policiais que estão sobrecarregados pela falta de estrutura e pedem a regulamentação da emenda à Constituição do Estado que concede subsídios à classe. “Nós vamos avançar até onde nosso passo alcançar. Tenho que ser responsável, para não comprometer as finanças do estado”, afirmou. “Peço um pouco mais de paciência aos policiais, porque no nosso governo eles serão respeitados e valorizados”.




quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

37 quilômetros de ciclovias serão recuperados em Curitiba

Um projeto para recuperar 37 quilômetros de ciclovias em Curitiba está em andamento. O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) selecionou seis ramais de ciclovias, que passam pelo Centro e por bairros das regiões Sul e Norte da capital. A previsão é de que R$ 2,2 milhões sejam investidos nas obras. Os recursos são do Banco Mundial e do Global Environment Facility (GEF).

Na etapa de projeto, que deve durar seis meses, serão investidos R$ 400 mil. O consórcio Unidec/Logit, que venceu a licitação, é responsável por essa fase. Eles devem detalhar os problemas e indicar as obras necessárias para a recuperação da pavimentação, drenagem e sinalização das ciclovias. Com esta fase finalizada, uma nova licitação vai definir qual empresa fará as obras. Para isso, serão gastos R$ 1,8 milhão.

Ciclovias

O Ippuc escolheu as ciclovias tendo como principal critério a ligação com a ciclofaixa que está sendo implantada na Avenida Marechal Floriano Peixoto e no centro da capital. Um dos ramais é o da Rua Aluísio Finzeto. Segundo Maria Miranda, coordenadora de mobilidade urbana do Ippuc, o trecho foi escolhido porque possibilita a integração do Boqueirão ao Centro da cidade.

Na região central, há cerca de 8,3 quilômetros de estrutura cicloviária. Estão incluídas as ciclovias das ruas Conselheiro Laurindo, Silva Jardim, Mariano Torres, Carlos Cavalcanti, Presidente Faria, avenida João Gualberto, Heitor Stokler, Sete de Setembro, Alexandre Gutierrez, Getúlio Vargas, Alferes Poli e Engenheiros Rebouças.

Outra ciclovia que será reestruturada é a da Rua Flávio Dallegrave. O trecho tem 10,5 quilômetros de extensão, iniciando na Rua Reinaldino de Quadros, no Alto XV, e seguindo até o bairro Barreirinha, na divisa com Almirante Tamandaré. Nãs regiões Sul e Norte da capital, estão contemplados os ramais das ruas Euclides Bandeira e Cecília Meireles e a ciclovia da Linha Verde Sul, que deve receber reforço de sinalização.

Visualizar Ciclovias recuperadas

Beto Richa reafirma apoio a Luciano Ducci

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Governadores do PSDB são bem avaliados em pesquisa do Ibope

Brasília – Os governadores Beto Richa (Paraná), Antonio Anastasia (Minas Gerais) e Geraldo Alckmin (São Paulo), todos do PSDB, são aprovados por mais de 50% da população de seus estados. Os dados são de pesquisa feita pelo Ibope para o Grupo Bandeirantes de Comunicação. O levantamento ouviu 10.878 pessoas em nove estados, mais o Distrito Federal.

O governo de Beto Richa é aprovado por 74% dos moradores do Paraná e é avaliado como ótimo ou bom por 64%. Em Minas, Antonio Anastasia tem 69% de aprovação e 55% de ótimo ou bom. Já o governador Geraldo Alckmin é aprovado por 67% dos paulistas e considerado ótimo ou bom por 54% da população.

“Os dados nos alegram, mas não nos surpreendem. O trabalho que o PSDB faz nos governos estaduais é sério, comprometido e, por isso, é apreciado pelo seu principal beneficiário, a população”, declarou o presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE).

Além de Paraná, Minas e São Paulo, o PSDB também está no governo de outros cinco estados – Roraima, Pará, Goiás, Alagoas e Tocantins – que não foram contemplados pelo levantamento do Ibope.

PT

A pesquisa também avaliou o desempenho de três governadores do PT. Jaques Wagner, da Bahia, Tarso Genro, do Rio Grande do Sul, e Agnelo Queiroz, do Distrito Federal, aparecem nas últimas colocações no levantamento do Ibope. Todos têm menos de 50% de ótimo ou bom.

A pior situação é do governador Agnelo Queiroz. Alvo de inquérito do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que investiga o desvio de recursos do Ministério do Esporte, o petista é desaprovado por 77% dos moradores do DF e tem somente 10% de ótimo ou bom.

E os impostos...



Foto: Terra Economia

O impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) atingiu nesta quinta-feira, 29 de dezembro de 2011, a marca de R$ 1,5 trilhão. É um recorde histórico desde que a ferramenta começou a contabilizar em 2005 os impostos arrecadados pelos governos federal, municipais e estaduais. O valor marcado corresponde aos tributos pagos pelos brasileiros desde o dia 1º de janeiro de 2011.

Na prática, isso significa que cada habitante do país pagou cerca de R$ 7.800 em impostos no ano de 2011. O valor também equivale a R$ 2,8 milhões arrecadados por minuto, segundo os cálculos da associação. Em 2010 o painel chegou a R$ 1,29 trilhão, e a expectativa da associação é que, até o sábado (31) – último dia do ano –, a ferramenta atinja R$ 1,51 trilhão.

Se comparado com 2010, o valor representa um aumento nominal na arrecadação de 17,1%, e um crescimento real de 11%, ou seja, quando já é descontada a inflação, de cerca de 6,5%.

Com a fortuna paga em tributos seria possível comprar mais de 55 milhões de carros populares 0 km; fornecer cestas básicas para todos os brasileiros por 4,7 bilhões de meses; comprar mais de 18 milhões de ambulâncias equipadas; ou ainda construir mais de 5 milhões de postos de saúde, calcula a ferramenta.

Salário Maior? Para Quem?


O ano de 2012 já começou. Por isso, nada mais justo do que iniciar este artigo desejando um Feliz Ano Novo para todos!

Porém, antes de começarmos um ano novo e renovarmos nossos valores, ficamos estarrecidos com a notícia de que políticos de todos os estados brasileiros votam em uma data propicia o aumento descarado de seus próprios salários. Todos os aumentos votados começarão a valer somente na legislatura de 2013, portanto, o projeto de aumento dos salários deveria ser votado em 2012. Mas, para que não houvesse desgaste em ano de eleição, a votação do aumento foi antecipada, até para que não houvesse nenhum “prejuízo eleitoral”.

Mas então o aumento aconteceria de qualquer forma? Sim. Infelizmente sim. O grande problema não é o aumento em si. Mesmo porque, todos os brasileiros têm direito ao reajuste dos salários, inclusive os políticos. O grande problema do aumento dos salários dos vereadores é que os números atuais destoam da realidade salarial da população brasileira.

Em Curitiba, os Vereadores aprovaram um aumento salarial de 28%, ou seja, passaram de R$ 10.444,00 por mês para R$ 13 mil. Em Apucarana (PR) os Vereadores aprovaram o aumento em quase 50%, passando dos atuais R$ 6.700 para R$ 10.020. Os vereadores de Londrina (PR) também votaram os seus aumentos, passando dos atuais R$ 5.724 para R$ 12 mil e o salário do presidente da Casa subirá de R$ 7.632 para R$ 15 mil.

E os exemplos não estão somente no Paraná. No município de Uberlândia (MG) os vereadores aprovaram o reajuste dos salários em 54%, com isso os legisladores da Casa que ganham R$ 9.755 passarão a receber R$ 15.031. Em Campinas os vereadores aprovaram um aumento salarial de 126% em meio a protestos da população. O salário de R$ 6,6 mil para R$ 15 mil. “Para manter os 33 parlamentares da cidade a partir de 2013, serão necessários R$ 5,9 milhões por ano, contra os R$ 2,6 milhões gastos atualmente”[1].

Neste contexto, chama a atenção um estudo da entidade Transparência Brasil. A pesquisa aponta que “os políticos brasileiros são os mais caros do mundo, onde o custo médio de cada parlamentar é de R$ 10,2 milhões por ano. Na Itália, esse valor é de R$ 3,9 milhões e, na França, de R$ 2,8 milhões. Na Argentina, cada parlamentar custa R$ 1,3 milhão e, na Espanha, R$ 850 mil por ano.” Registra-se ainda que os vencimentos básicos de políticos brasileiros são 8% maiores que os dos congressistas norte-americanos e 84% maiores que os dos britânicos.

“Há um nítido exagero nos salário e em todo o dinheiro que é posto a disposição das Câmaras Municipais, Assembléias Legislativas e do Congresso, para pagar o enorme aparato que foi sendo construído em volta da atividade parlamentar” afirma o Presidente Fernando Henrique Cardoso.

 Fonte: Folha de São Paulo

 
O Brasil anda na contramão daquilo que qualquer país deveria fazer, que é a redução de gastos públicos. Hoje o primeiro mundo passa por uma crise econômica e tem como um dos principais causadores o déficit público. O gasto público destinado a financiar a atividade política é muito elevado.

Enquanto tudo isso acontece, o salário mínimo foi elevado em parcos 14,26%, alcançando míseros R$ 622,00 a partir de janeiro de 2012. Criou-se uma distancia abismal entre a média salarial de um parlamentar e a remuneração média dos cidadãos por ele representados. Essa distancia discrepante de valores salariais ajuda a desmoralizar a política, o que gera um efeito nefasto: a sociedade se afasta da politização e se exime de participar das decisões que são de seu interesse.

Por óbvio que, na medida em que a política requer dedicação, também requer remuneração. O que não pode haver são salários e benefícios altos demais, uma extorsão ao bolso do contribuinte. São estes os valores que nos ensina a Social-Democracia, o que nos faz opinar contra os aumentos abusivos de salários de membros do poder Executivo e Legislativo.


Allan Kolodzieiski
Secretário-Geral da JPSDB Curitiba



[1] Via G1. Disponível em: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/12/vereadores-de-campinas-aumentam-salario-de-r-66-mil-para-r-15-mil.html

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Centro da Juventude ficará pronta no primeiro semestre de 2012

O Centro da Juventude Eucaliptos, que a prefeitura de Curitiba constrói na Regional Boqueirão, deve ficar pronto no primeiro semestre de 2012. Com a obra, os moradores vão ganhar uma grande área moderna e segura para a prática de diversas atividades físicas, esportivas e culturais.


Para meninos e meninas de 6 a 17 anos, um programa especial de atendimento em futsal, basquete, voleibol, natação, coordenado pela Secretaria Municipal do Esporte e Lazer. Os investimentos na construção do Centro somam R$ 5 milhões.

As instalações do Centro, localizado na Rua Pastor Antônio Polito, incluem piscina semi-olímpica coberta e aquecida, anfiteatro, academia ao ar livre, campo de futebol, unidade de saúde, pista de skate, salas de multiuso, anfiteatro poliesportivo coberto e com arquibancada para 200 pessoas.

“Esses espaços são projetados para garantir mais qualidade de vida dos curitibanos, e oferecer também aos nossos jovens uma alternativa para a prática de esportes e de lazer, importantes para sua boa formação”, diz o secretário municipal de Obras Públicas, Mário Tookuni.

Para jovens, moradores e comerciantes, essa é uma conquista aguardada com ansiedade. Gustavo Farias (14), atendente no Aviário Tangará, de propriedade da sua mãe Neide Cristina (43), já fez uma agenda para freqüentar o novo espaço. Durante a semana, as obrigações; nos finais de semana, vai fazer manobras e mais manobras na pista de skate.

Maicon Vinícius Pereira (15), entregador da loja, quer usar a pista de skate e as quadras esportivas. ”Será bom para o pessoal da minha idade. Eu gosto da idéia”, afirma.

Taciane Giraldes Rodrigues dos Santos, moradora do Boqueirão há 28 anos, dona de casa, valoriza a obra pelos benefícios para toda a população. “É bom que tenha um serviço deste tão perto da casa da gente, ainda mais por ser gratuito. A gente está na espera do Centro, torcendo para que 2012 chegue logo”, diz.

Marla Barco dos Santos (22), cabeleireira, acredita que o Centro vai fazer em aos jovens e ao comércio em toda volta daquela área, porque seus freqüentadores serão potenciais clientes das lojas ali instaladas. “O morador e o comerciante da região só têm a ganhar”, comenta.

Renato Vaz de Jesus (35), dono da Marinus Modas e Calçados, sonha em fazer uso das instalações. Para a família Araújo – o pai, Paulo Roberto e os filhos que trabalham na mecânica Brava Center Car há um ano e meio – a proximidade com a obra é sinônimo de mais movimento. Marlon César Araújo (25) pensa não só nos negócios, mas na influência positiva que o Centro terá especialmente na vida dos jovens da região do Boqueirão. “Eles vão podem ocupar a cabeça com coisas boas, em vez de ficarem nas ruas correndo o risco de cair nas drogas”.


Centro da Juventude Eucaliptos
Investimento: R$ 5,04 milhões
Benefícios: piscina semi-olímpica coberta e aquecida, anfiteatro, academia ao ar livre, campo de futebol, unidade de saúde pista de skate, salas de multiuso, anfiteatro e ginásio poliesportivo coberto e com arquibancada para 200 pessoas, entre outras instalações.