sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Proposta do Luciano Ducci: Eliminar a miséria em Curitiba

Com Luciano Ducci e Beto Richa, Curitiba foi a capital que mais reduziu a pobreza e a miséria: 65% de redução em 6 anos. Agora, Luciano vai avançar mais.  Vai erradicar a miséria em Curitiba, retirar 6 mil famílias da beira de rios e atender mais 10 mil famílias no Família Curitibana, inclusive com bolsa alimentação de R$ 50 por mês.

Outras propostas
- Ofertar cursos profissionalizantes para 70 mil jovens nos Liceus de Ofícios;
- Construir o Restaurante Popular Boqueirão, que serve almoço a R$ 1,00;
- Implantar os Armazéns da Família Jardim Gabineto e Vila Torres e realocar os Armazéns Fazendinha e Maria Angélica;
- Construir os Sacolões da Família Centenário, Maria Angélica, Vila Torres, Jardim Gabineto e São João Del Rei.

Muitos avanços conquistados desde 2005
- Luciano Ducci e Beto Richa criaram a passagem de ônibus a 1 real aos domingos, para as famílias;
- Implantaram 4 Restaurantes Populares, que servem 5.000 refeições a 1 real na hora do almoço;
- 22 mil casas da Cohab foram entregues;
- Foram construídos 15 Armazéns da Família, que atendem 250 mil famílias cadastradas em Curitiba e RMC.
- Foram construídos 45 Centros de Assistência CRAS para atender quem mais precisa;
- 7 mil famílias são atendidas no programa Família Curitibana;
- Luciano construiu 5 Sacolões da Família e o Mercado Regional Cajuru.

Além disso, Luciano é o único candidato que garante que a passagem de ônibus vai continuar custando R$ 1 aos domingos.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

“Escolha errada fará Curitiba perder avanços sociais”, afirma Luciano Ducci

Na última sexta-feira (21)  O prefeito Luciano Ducci afirmou que os curitibanos devem comparar propostas dos candidatos e cuidar para não ser iludidos por promessas vazias. “Nesta eleição é preciso comparar. A escolha errada fará com que Curitiba perca avanços sociais”, disse Luciano durante encontro no Campina do Siqueira. Ele também afirmou que há muita promessa e pouca explicação de como serão cumpridas as propostas.

O prefeito disse que há candidato prometendo de tudo, de forma irresponsável. “Um pai e mãe de família gastam o que podem e planejam o que fazer para melhorar a casa. Um prefeito faz o mesmo. Planeja e faz o possível e tenta conseguir mais recursos para melhor a vida das pessoas que mais precisam”, disse.

Luciano entende que seria fácil prometer e dizer que vai fazer tudo, como se tivesse na mão uma varinha mágica. “Mas nossas propostas são factíveis, com recurso garantido e tudo planejado. É falsa a ideia do candidato que diz que quando assumir vai fazer tudo no primeiro dia. O orçamento do ano que vem está sendo definido neste ano. E o prefeito terá que fazer o que está aprovado na Câmara”, disse.

O prefeito trabalha muito para conseguir recursos para poder fazer cada vez mais para os curitibanos. O resultado desse esforço: mais de R$ 3,5 bilhões em novos investimentos para a próxima gestão. São verbas para a construção do metrô, obras de drenagem, pavimentação e as melhorias para a Copa do Mundo.

Mais preparado - Junto com o governador Beto Richa, o prefeito se encontrou com a comunidade árabe.  Luciano destacou o trabalho de valorização do comércio e da revitalização de ruas comerciais que estão recebendo calçadas especiais, nova iluminação especial, asfalto e drenagem. “São melhorias para estimular o comércio e também para gerar mais emprego na cidade”, disse ele.

Kamal El Oumairi, vice-presidente da Sociedade Beneficente Muçulmana do Paraná, disse que o prefeito Luciano Ducci é o melhor candidato a prefeito para estas eleições. “Luciano terá o apoio da comunidade árabe de Curitiba, que vê nele o candidato mais preparado para governar Curitiba”, disse. No encontro, também estava o xeique Mohamad Sadek Ebrahim.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Programa Luciano Ducci 40

Assista o último programa Luciano Ducci 40 , que fala sobre "alimentação de qualidade".

Moradores da CIC terão escola profissionalizante

O prefeito Luciano Ducci cedeu o terreno para construção da primeira e Escola Profissionalizante em parceria com o Governo do Paraná. A nova escola técnica para capacitação de jovens e adultos será construída ao lado da Escola Municipal Albert Schweitzer, na CIC. A Rede Profissionalizante, proposta de Luciano, contará com quatro escolas técnicas.

As obras de construção da escola profissionalizante na CIC começarão no fim deste ano. “Em outubro, será feita a licitação para início das obras e, dentro de aproximadamente um ano e meio, devemos concluir o trabalho e começar os cursos”, disse o vice-governador Flávio Arns.

A Escola Técnica contará com laboratórios de metalmecânica, eletrônica básica, metrologia, instalações elétricas prediais e industriais, sala de informática, salas de aula e espaço administrativo. A Escola vai receber 180 alunos, que vão ter laboratórios de física e química, uma quadra esportiva coberta. Será também adaptado um espaço da Fundação Cultural para capacitar mão de obra nas atividades de sonoplastia, câmeras e edição de vídeos.

“Não podemos ficar perdendo tempo e discutindo sobre o estudante ser do estado ou do município. Esta divisão não pode ser uma barreira para a tomada de decisões”, afirmou Arns.

A nova escola irá atender estudantes do ensino médio. “Curitiba está crescendo, abrindo novas frentes de trabalho e criando emprego. Precisamos qualificar nossos jovens o mercado, ampliando assim as chances de melhores salários”, declarou Luciano Ducci.

A Rede Profissionalizante de Curitiba será constituída, a princípio, por quatro escolas de ensino profissionalizante, nas regiões Sul, Oeste, Norte e Leste de Curitiba, para atender a capital e Região Metropolitana. Mas o projeto prevê a inclusão de novas escolas. Essas escolas vão trabalhar em conjunto com os Liceus de Ofício, atendendo as demandas dos programas da Secretaria do Trabalho e potenciais trabalhadores do Programa Família Curitibana.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Luciano Ducci vai transformar antigo quartel em cinema, no centro da cidade

O prefeito Luciano Ducci vai transformar o antigo Quartel Riachuelo, na esquina das ruas Carlos Cavalcanti, no Cine Passeio. Uma escola de cinema com salas de projeção e terraço para exibição de filmes ao ar livre, além de outras atrações. O prédio foi decretado Unidade de Interesse Especial de Preservação. “O Cine Passeio está dentro de um conjunto de obras planejadas para a revitalização do centro da cidade”, afirma Ducci.

Uma das obras que estão no conjunto de melhorias da região é a revitalização da rua São Francisco, que está em obras.
Projetado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), o Cine Passeio será gerenciado pela Fundação Cultural de Curitiba. O equipamento terá de 2.500 metros quadrados, e o custo da obra previsto em aproximadamente R$ 6 milhões.

O novo cinema de rua de Curitiba terá três salas de projeção, com 111 lugares, abrigando os antigos cines Luz e Ritz que funcionavam na Rua XV de Novembro. Outra sala de projeção, de 87 lugares, será usada para cursos. Estão previstas ainda áreas de convivência e espaço para encontros e exposições.

A edificação e a localização do antigo quartel - no cruzamento das ruas Riachuelo com a Presidente Carlos Cavalcanti, no setor histórico e perto do Passeio Público - conferem uma importância simbólica para a memória da cidade e por isso foi considerado como unidade de interesse de preservação.

Perto do Cine Passeio, Luciano Ducci está revitalizando a Rua São Francisco. As obras incluem nivelamento da rua e da calçada, reforma da iluminação pública e pintura das fachadas. Parte da calçada sem valor histórico e tradicional será substituído por faixas vermelhas de concreto, parecido ao da rua Riachuelo, outra rua da região que foi reformada recentemente por Luciano.

UPS é instalada na Vila Sandra na CIC em Curitiba

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Festa de arromba do mensalão

A diferença entre apoio político e dependência de um governo centralizador

É de conhecimento de todos, que a maior parte dos tributos arrecadados - aproximadamente 70% - são geridos pelo Governo Federal. A consequência imediata deste modelo centralizador é a absoluta dependência dos Estados e Municípios para elaborar projetos inovadores e de acordo com as especificidades locais. Outra consequência negativa do atual modelo é notado nas campanhas municipais onde vemos candidatos das mais diversas correntes políticas rasgando elogios à chefe do poder executivo nacional com a finalidade de não gerar constrangimento algum no momento em que se reunirem para pedir o apoio financeiro necessário à implementação de novos projetos para seus municípios.
Reforma política e tribuária que visem a diminuição desta relação de dependência do Governo Federal se fazem urgentes, não só pelos problemas políticos à democracia que possam ocasionar, mas principalmente para dar um salto qualitativo nas políticas públicas brasileiras tão emergenciais há décadas e que até o momento encontram-se estagnadas. Basta lembrarmos os frequentes problemas em relação às áreas de saúde e educação que o Brasil inteiro sofre, sobrando para os municípios todo o ônus decorrente da incompetência administrativa instaurada em Brasília nesta última década.
Lembramos que recursos não faltam, pois a própria propaganda governista deu conta de divulgar a maravilha econômica brasileira ocasionada pelo crescimento econômico mundial até a crise de 2008, e que acabaram por mostrar toda sua fragilidade ao analisarmos o baixo crescimento do nosso PIB em 2012, estimando até o momento em menos de 2%, o pior entre os países emergentes, os chamados BRICS. Sem nenhum avanço consistente em sua infraestrutura e o atual estado de obras paralisadas ou sem sequer sair do papel, o Brasil vem demonstrando que perdeu uma década de oportunidades. O pior de tudo foi inflar os gastos públicos sem sequer conquistar avanços significativos de forma homogênea a todos os cantos do Brasil.
O que concluo com esta breve análise é que podemos atribuir poucos avanços brasileiros quanto às políticas públicas em sua maior parte às administrações municipais (quem executa) e permitir que o ônus recaia sobre quem lhe é direito, ou seja, o Governo Federal, afinal, a demanda por mais investimentos deve ser dirigida aos que gerem os abundantes recursos advindos dos impostos dos brasileiros.
Tendo em vista que interessa mais à boa administração garantir recursos para os investimentos necessários do que as velhas e improdutivas brigas políticas, não se admirem ao ver todos os candidatos às prefeituras municipais, norte a sul do Brasil, proferirem afagos à Presidente, uma vez que o que impera no modelo político brasileiro é a dependência do centralizador Governo Federal.

Luciano Ducci vai construir mais 22 creches em 2013

Na última terça-feira (17) o prefeito Luciano Ducci disse que vai começar em 2013 a construção de mais 22 creches municipais. O anúncio foi feito durante entrevista ao jornal RPC TV- primeira edição. Estas e outras obras de Luciano vão abrir mais 15 mil vagas em creches na cidade. 

“Logo após as eleições vamos assinar o convênio para receber os recursos e licitar para começar as obras em 2013. Temos bons projetos e articulação para conseguir recursos, além disso nossas equipes de planejamento urbano sabe aonde estão as demandas da cidade para essas obras”, afirmou o prefeito.


Das 15 mil vagas que Luciano vai abrir, 7 mil são para crianças de zero a 3 anos e 8 mil vagas na Educação Infantil de 4 a 5 anos. “Essa é nossa meta e nosso compromisso que está registrado em cartório”, destaca Luciano.


Veja onde serão construídas as novas creches:

1 - Sítio Cercado, rua Oseas Lazzari Stoterau - Xapinhal
2 – Tatuquara, rua Ernesto Germano Francisco Hannemann – Moradias da Ordem
3 - Sítio Cercado, rua Edvald Ribas Borba – Conjunto Prata
4 - Portão, rua Daisy Luci Berno 
5 – CIC, rua Capitão Argemiro Monteiro Wanderley 
6- CIC, rua Antonia Molina Bella – Vila Verde
7 – Umbará, rua Coronel Guilherme Theodoro Buest – Jardim Futurama
8- São João, rua Dinarte Caprilhone / Aureliano Azevedo da Silveira
9- Campo de Santana, rua Eleonora Brasil Pompeo 
10 - Campo Santana/Rio Bonito, rua Lucas Carvalho
11 – CIC, Estrada Velha do Barigui – Jardim Sabará
12- Bairro Novo, Rua Tijucas do Sul
13 – Ganchinho, rua Silvio Corazza
14 – Campo de Santana, rua Pedro Pilato Sobrinho
15 – Cachoeira, rua Paulo Kulik- Bairro Cachoeira
16 – Santa Cândida, rua Engenheiro Francisco Xavier Driesel - Bairro Santa Cândida
17- Uberada, CMEI Curumin (reconstrução), rua Dona Saza Láttes
18 – Cajuru, rua dos Ferroviários 
19 – Tatuquara, Bela Vista da Ordem
20 – Ganchinho, rua Silvio Corazza
21 – Boqueirão, rua Bartolomeu Lourenço de Gusmão, 2250 
22 – CIC, rua Maria Lúcia Locher de Athayde 

Proposta de Luciano Ducci para educação:

- Construir 5 novas Escolas Municipais: uma no bairro São João; duas no Ganchinho e Sitio Cercado; uma no Tatuquara e uma na Barreirinha;

- Implantar 10 Centros Educacionais em tempo integral em regiões de alta vulnerabilidade social; 

- Aumentar o atendimento escolar em tempo integral, com a oferta de 5.000 novas vagas de contraturno; 

- Instalar o Centro Municipal de Atendimento Especializado para Transtornos de Conduta e Autismo na nova escola da Vila Torres;

- Construir dois Centros Municipais de Atendimento Especializado no Cajuru e no Bairro Novo;

- Construir mais duas Escolas Especiais, no Tatuquara e na CIC; 

- Implantar o 2º terminal do Sistema Integrado de Transporte do Ensino Especial (SITES), na Região Sul;

- Instalar internet wireless banda larga em todas as salas de aula; 

- Distribuir 20.000 netbooks para os alunos com software educacional ;

- Um tablet para cada professor.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Luciano Ducci vai criar o Procon Municipal

O prefeito Luciano Ducci, candidato pela Coligação Curitiba Sempre na Frente, vai criar o Procon Municipal. A proposta de criação da estrutura de defesa do consumidor curitibano será enviada à Câmara Municipal, quando for encaminhada, no fim de setembro, a Lei Orçamentária Anual (LOA).  O novo Procon terá cinco escritórios. Agora temos uma proposta concreta para ampliar o atendimento ao consumidor de Curitiba”, afirma Luciano.

O Procon municipal terá escritórios na região Central da cidade e nas zonas Norte, Sul, leste e Oeste. Os escritórios vão ficar em áreas de grande adensamento populacional e perto dos novos consumidores da nova classe C, que estão consumindo mais e, portanto, precisando de apoio na área de direito do consumidor.

A implantação do Procon será feita em parceria com o Governo do Estado, que vai repassar recursos destinados ao trabalho de defesa do consumidor. A Prefeitura também vai aplicar recursos próprios e vai contratar e capacitar os funcionários para o atendimento dos curitibanos.

A implantação do Procon Municipal será gradativa. A meta é implantar, a médio prazo,  cinco escritórios e, futuramente, estender os atendimento para as ruas da cidadania.

Luciano Ducci vai construir calçadão atrás da Catedral

O prefeito Luciano Ducci vai construir um calçadão na Travessa Nestor de Castro, que fica atrás da Catedral de Curitiba. A rua, que hoje abriga pontos de ônibus e divide o centro histórico da cidade, será subterrânea, formando um grande túnel da rua Barão do Serro Azul até a rua Augusto Stelfeld. “Esta é mais uma obra que vai modernizar o Centro de Curitiba. Na nova Travessa Nestor de Castro será construído um grande centro multimídia, para shows, como a Virada Cultural, Festival de Teatro e Bienal de Dança”, disse Luciano.

O projeto, que está no plano de governo de Luciano, prevê a construção de uma grande área de lazer, ligando o Centro Histórico e a Catedral. No calçadão, haverá áreas de convivências, com bancos e paraciclos, e espaço para shows.

No subsolo, haverá uma rua, onde serão transferidos os pontos de ônibus. O túnel será bem iluminado, com câmeras de vídeo e vai atender também calçadas para pedestres.



Melhorias na região central - Além desta obra da Travessa Nestor de Castro, Luciano tem programada a abertura do Cine Passeio, que vai ocupar o antigo quartel do Exército, na rua Riachuelo esquina com a 13 de maio. O novo cinema vai passar filmes a preços populares e também filmes de produção local.

Outra melhoria na região é a revitalização da rua São Francisco, que está ganhando novas calçadas, iluminação e a rua de paralelepípedo nivelada. A obra vai permitir que o comércio possa colocar mesas e cadeiras nas calçadas, formando um grande boulevard.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

“Lula era o chefe”, diz Marcos Valério à revista Veja

Brasília – Reportagem da revista Veja publicada no sábado (15) revela que o empresário Marcos Valério, apontado como o operador do mensalão do PT, tem dito em conversas “com pessoas próximas” que o ex-presidente Lula era o “chefe” da quadrilha responsável por um dos maiores esquemas de corrupção do país.

Com o resultado do julgamento da última quinta-feira – o STF condenou por lavagem de dinheiro oito dos dez réus acusados do crime –, Valério e seus ex-sócios Cristiano Paz e Ramon Hollerbach já somam condenações suficientes para receber pena de, pelo menos, 13 anos, em regime fechado. Valério estaria desolado com as condenações e a prisão. O abandono que sofreu por parte do PT seria o motivo das declarações.

Valério disse ainda que o partido desviou R$ 350 milhões para o esquema – quase o triplo do valor investigado pela procuradoria-geral da República. De acordo com a revista, Valério disse a pessoas próximas que Lula só não foi para o banco dos réus porque houve um silêncio por parte dele e dos petistas José Dirceu, ex-chefe da Casa Civil, e Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido.

“Não podem condenar apenas os mequetrefes. Só não sobrou para o Lula porque eu, o Delúbio e o Zé [Dirceu] não falamos”. E concluiu: “Lula era o chefe”.

A PGR afirma na denúncia que o mensalão foi alimentado por desvio de R$ 136 milhões. “O caixa era muito maior. O caixa do PT foi de R$ 350 milhões”, teria dito Valério.

Lula não se pronunciou sobre a reportagem. Mas já mandou “recado” por meio do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT). Ele afirmou ontem que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nunca esteve com Marcos Valério.

O julgamento será retomado hoje sob o impacto das revelações atribuídas a Marcos Valério. O item seis começa a ser julgado hoje e tem entre os 23 réus o trio de caciques petistas Delúbio Soares, José Genoino e José Dirceu. Este último era considerado o braço direito de Lula à época da eclosão do maior escândalo político já visto no Brasil.
Fonte: psdb.org.br

Entusiasmo das ruas embala campanha de Luciano nos bairros

No último sábado (15) o prefeito Luciano Ducci, o governador Beto Richa e Rubens Bueno, candidato a vice-prefeito, percorreram bairros da cidade em carreatas. Pela manhã, junto com Fernanda Richa e diversos vereadores, o grupo percorreu a região do Pinheirinho, Novo Mundo e Capão Raso. No caminho, sempre saudados pela população, fizeram fotos e entregaram adesivos e cartazes.

Segundo Luciano, é contagiante ver o apoio das pessoas. "Isso se reflete nas pesquisas. Estas demonstrações nos empolgam ainda mais e nos dão a certeza da vitória de nosso projeto para continuar transformando a cidade e a vida das pessoas”, disse Luciano Ducci.

No período tarde, o grupo passou pelos bairros Xaxim, Alo Boqueirão, Sítio Cercado e CIC seguidos por mais de 120 veículos. Pelas ruas, Luciano recebeu cumprimentos e várias manifestações de apoio. As famílias sinalizaram com sinal de vitória e palavras de “já ganhou”.

A carreata passou por pelas ruas Eduardo Pinto da Rocha e Jussara, parque do Semeador, escolas, quadras cobertas e conjuntos habitacionais, entre eles o Vitória Regia.

Luciano Ducci cresce e lidera pesquisa do Ibope

O prefeito Luciano Ducci, candidato pela Coligação Curitiba Sempre na Frente, subiu 8 pontos e assumiu a liderança na pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (14), com 31% das intenções de voto. É a quarta pesquisa Ibope desde abril. Luciano cresceu 15 pontos percentuais no período.

“A pesquisa mostra nossa tendência de crescimento. Agora, estaremos mais presentes em todos os bairros, vamos conversar com ainda mais pessoas, para mostrar o trabalho que já fizemos e o que vamos fazer nos próximos quatro anos”, disse Luciano Ducci.

Na pesquisa, encomendada pela Globo/RPC, Luciano Ducci subiu de 23% para 31%, Ratinho Junior oscilou de 27% para 30% e Gustavo Fruet (PDT), caiu de 21% para 16%. 

Foram entrevistados 805 eleitores entre 11 e 13 de setembro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral, sob o número 00162/2012.

Evolução - A primeira pesquisa do Ibope foi divulgada em abril. Luciano tinha 16%, Fruet, 26% e Ratinho, 24%. — Pesquisa registrada no TRE-PR, sob o número 001/2012.

Em 10 de agosto, Luciano tinha 25% no Ibope, Fruet com 24%, Ratinho Jr, com 23%, Greca, com 6%, Carlos Moraes, com 1%. — Pesquisa registrada no TRE-PR, sob o número 040/2012.

Na terceira pesquisa, de 24 de agosto, Ratinho Jr tinha 27%, Luciano Ducci, 23%, Gustavo Fruet, 21%, Rafael Greca, 6%, e Bruno Meirinho, 1%. Agora, Luciano Ducci cresceu 15 pontos e mantém a liderança na intenção de voto. — Pesquisa registrada no TRE-PR, sob o número 066/2012.


sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Debate na CNT: "Curitiba vai avançar ainda mais nos próximos 4 anos"

Na noite de ontem (13) o  prefeito Luciano Ducci, candidato pela Coligação Curitiba Sempre na Frente, destacou os avanços sociais e as obras da cidade no debate da CNT. Luciano demonstrou que é o candidato mais preparado, tem experiência e conhece a cidade. O prefeito apresentou propostas para segurança, inclusão social, transporte público e de infraestrutura, além das melhorias que virão com recursos para a Copa Mundo.

Durante o primeiro bloco, Ducci apresentou o trabalho que está sendo feito na área de segurança, em parceria como governo de Beto Richa. O prefeito destacou o trabalho de combate à criminalidade nos bairros, feito em parceria pela Polícia Militar e Guarda Municipal. Ele disse que, na sua próxima gestão, Curitiba terá mais de mil câmeras nas ruas, terminais de ônibus e estações-tubo.

O prefeito também falou do seu trabalho de inclusão social, que reduziu 65% o índice de pobreza e miséria. O índice foi superior a média nacional de 42%, segundo o governo federal. Luciano destacou que retirou 7 mil famílias da beira do rio, regularizou 18 mil imóveis e que entregou 12 mil casas. Outra ação para melhorar a situação das famílias carentes foi a ampliação da rede de Centros de Referência de Assistência Social, que hoje conta com 45 unidades, sendo 15 consideradas referência pelo governo federal. “Vamos continuar investindo em saúde e na área de educação, para fortalecer a inclusão social e avançar cada vez mais”, disse Ducci.

No segundo bloco, o prefeito apresentou os avanços na área de transporte. Luciano disse que a prioridade é transporte de massa, com a implantação do Ligeirão Praça do Japão/Terminal Santa Cândida e, com a futura linha, Centenário/Campo Comprido. Também serão criadas faixas exclusivas para o Inter 2 e Interbairros II.

O prefeito disse que trabalhou para viabilizar o metrô curitibano, buscando recursos do PAC da Mobilidade e do governo estadual. Com estes investimentos, será implantado o metrô no trecho CIC/SUL, transportando 475 mil passageiros. “Temos o único projeto viável, que tem recursos garantidos para a sua construção”, disse.

Luciano vai concluir a Linha Verde do Atuba  à Fazenda Rio Grande. Ele destacou que a antiga rodovia tinha pista simples e que agora ganhou mais faixas, tornando mais seguro o trânsito.

No terceiro bloco, Luciano falou sobre os investimentos na Copa do Mundo. Ele disse que a cidade não vai gastar recursos públicos e que ainda vai receber cerca de R$ 850 milhões para obras viárias na cidade. Ele também disse que na Copa virá um grande número de turistas, que vão gastar em restaurantes e hotéis, além de Curitiba ser promovida para o mundo.

Serão criados novos espaços esportivos em Curitiba, como o Clube da Gente e o Centro da Juventude. Ele lembrou que o primeiro Centro da Juventude já está funcionado no Eucaliptos, com piscinas e pistas de Skate. E novos centros serão construídos no Bairro Alto e Santa Felicidade.

Nas considerações finais, Luciano Ducci lembrou que há dois anos como prefeito transformou a cidade num canteiro de obras, e vai fazer muito mais nos próximos quatro anos. ”Sou de falar pouco, mas de trabalhar muito”, afirmar.

Aproveitou ainda para destacar que na área da saúde vai construir o Hospital da Zona Norte da Cidade, com 250 leitos de internamento, cinco salas de cirurgia, ampliar o Hospital do Trabalhador. ”Também invesiteremos fortemente em mobilidade, e sou o único que defende de forma concreta o metrô, levar o ligeirão em todas as canaletas”, destacou.

A eliminação da miséria e da pobreza também foi foi destaca por Luciano como a grande meta mobilizadora da sua equipe na próxima gestão. ”Quero a oportunidade de continuar fazendo essas transformações”.

Luciano diz que Hospital Zona Norte terá parceria com Pequeno Príncipe e Estado

Quarta-feira (12) o prefeito Luciano Ducci, durante a entrevista na RICTV, anunciou que o futuro Hospital e Pronto-Socorro Zona Norte vai ser construído em parceria entre a Prefeitura, Governo do Estado e Pequeno Príncipe. O novo equipamento será construído no Bacacheri, perto da Base Aérea, com 250 leitos, 60 leitos de UTI e salas de cirurgias.

Ducci disse que lançou a proposta de construir o hospital em maio desde ano. Para viabilizar o projeto fez a intermediação com o governo estadual e o Pequeno Príncipe. “O novo hospital vai desafogar o atendimento na região norte de Curitiba e dos municípios vizinhos”, completou.

O prefeito também falou sobre o viaduto estaiado,no Guabirotuba. Lembrou que o projeto do viaduto foi aprovado pelo governo federal e Caixa Econômica. Luciano afirmou que esta obra faz parte de uma série de melhorias que estão sendo feitas na cidade para a Copa de 2014. Por conta do evento esportivo, Curitiba vai receber cerca de R$ 850 milhões para investir em obras viárias, na rodoferroviária e no monitoramento do trânsito.

Luciano Ducci ressaltou que na atual gestão cumpriu além do programado em seu plano de governo. Luciano disse que 85% das metas já foram alcançadas, 12% ainda estão executadas e 3% são metas que precisaram ajustes ou que foram substituídas ao longo da gestão. “Fizemos a mais do previsto, como a implantação do Ligeirão e obras de dragagens em rios”, disse.

Encontros - Após a entrevista, o prefeito esteve na Associação Brasileira de Assistência à Mucoviscidose reunido com representantes de associações que atendem pessoas com parkinson, fibrose cística, febre reumática e esquizofrenia. No encontro, o prefeito recebeu o apoio do presidente da Associação, Sérgio Sampaio.

Sampaio disse que Luciano tem sido parceiro de anos das associações de pessoas com doenças raras e com deficiência. Ele destacou que graças o apoio do prefeito e do governador Beto Richa, a entidade conta com medicamentos e apoio de especialistas.

Depois da reunião, o prefeito esteve com médicos e diretores Hospital São Vicente, que apresentaram o projeto de um novo hospital.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

“Precisamos continuar enfrentado os problemas com Luciano e Beto”, afirma Rubens Bueno

O candidato a vice-prefeito de Curitiba, deputado federal Rubens Bueno, reuniu funcionários dos Armazéns da Família para falar sobre o peso das próximas eleições, e reforçou a importância de fazer a escolha certa nas próximas eleições, para garantir o futuro da cidade. “Um novo Brasil está nascendo. Estamos vendo "mensaleiros" e até donos de bancos sendo condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Por isso, temos que ser mais responsáveis do que nunca”, afirmou Bueno. O encontro aconteceu no Centenário, nesta segunda-feira (10) dia em que os armazéns não são abertos para a população.

“Se escolhermos errado, serão quatros anos ruins e mais alguns para consertar o estrago”, afirmou Bueno ao lembrar que o Governo do Estado está contratando agora os todos policiais que não foram contratados nos oito anos anteriores e estabelecendo diversas parcerias com a Prefeitura de Curitiba, como na implantação das Unidades Paraná Seguro (UPSs) e espaços para instalação de novos batalhões para a Polícia Militar, para aumentar a segurança das pessoas em Curitiba.

“Escolhemos o Beto para o Governo, para que Curitiba não continuasse sendo desconsiderada pelo governador. Agora, precisamos manter o enfrentamento dos problemas através da parceria com quem tem experiência e sabe fazer, como o Luciano”, afirmou.


terça-feira, 11 de setembro de 2012

“Tempo”, artigo de Aécio Neves

* Artigo do senador Aécio Neves (PSDB-MG) publicado na edição desta segunda (10) da Folha de S. Paulo

Não há como deixar de lamentar a precoce aposentadoria do ministro Cezar Peluso, no Supremo Tribunal Federal, por ter atingido a idade limite de 70 anos estabelecida na Constituição e no Estatuto dos Servidores Públicos. Pelas mesmas razões, em pouco tempo a Suprema Corte sofrerá nova baixa com a aposentadoria compulsória do presidente Carlos Ayres Britto.

No caso de Peluso, já cessou inclusive o direito de ele oferecer a sua sábia contribuição no maior julgamento da história daquela corte – o “escândalo do mensalão”. Uma pena, pois trata-se de um marco histórico que, acredito, deixará lições importantes, estabelecendo novos paradigmas e jurisprudência para o rito processual de crimes relacionados à corrupção, mal endêmico no Brasil.

Esses fatos colocam em pauta o debate sobre a aposentadoria precoce de servidores públicos. Hoje não faz mais sentido abrirmos mão do conhecimento, da experiência e da sabedoria de tantos brasileiros pelo simples fato de terem chegado aos 70 anos.

Tancredo Neves conduziu o processo de redemocratização e foi eleito presidente da República aos 74 anos. Ulysses Guimarães proclamou a nova Constituição com 72.

Leonardo Boff foi apontado recentemente como um dos mais influentes na internet. Jorge Gerdau realiza extraordinário trabalho em favor da boa gestão na área pública. E o que dizer do talento de Zuenir Ventura; da prodigiosa inteligência de Eliezer Batista e do vibrante Fernando Henrique, um dos mais importantes pensadores do nosso tempo? E de Zilda Arns, que nos deixou a herança da solidariedade?

Caetano, Gil, Milton e Roberto Carlos continuam encantando multidões. Ziraldo se encontra em pleno vigor criativo, e Oscar Niemeyer é um emblema à sensibilidade.

Um bom começo para revermos essa questão é resgatar as propostas de emenda constitucional dos senadores Ana Amélia e Pedro Simon que tramitam no Senado, propondo uma necessária revisão da matéria, estendendo a possibilidade de permanência por mais cinco anos no serviço público. Pedro Simon, registre-se, é um dos mais combativos e importantes parlamentares do país.

Essa reflexão me trouxe à lembrança um episódio ocorrido em Minas Gerais nas eleições de 1982 e que evidencia o preconceito de idade existente na nossa sociedade.

No calor do debate eleitoral, os adversários de Tancredo Neves apontavam o que consideravam ser o seu defeito: tratava-se de “um velho”. Tancredo, com o bom humor que sempre o caracterizou, respondeu de imediato que seus oponentes não precisavam se preocupar. Afinal, aos 71 anos, Churchill havia vencido uma guerra para a humanidade, enquanto Nero, aos 27, havia posto fogo em Roma”…

Programa Luciano Ducci 40

No programa ontem (10) foi especial sobre mobilidade. Vale dar uma conferida e ver o que já foi feito e o que está sendo preparado para melhorar ainda mais a cidade.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

No Rio Bonito, nova Regional e Centro de Urgências 24 horas

No último sábado (8) o prefeito Luciano Ducci percorreu  o comércio e conversou com moradores do Rio Bonito, no Campo de Santana, ao sul da cidade, sobre obras, melhorias e projetos para a região. Além de uma nova creche, com 200 vagas para crianças de até 5 anos, a região também está ganhando 40 quilômetros de ruas asfaltados.

Os serviços municipais também vão ficar mais acessíveis, com a criação da nova regional Tatuquara. Em 2013 será construída a sede da regional e, ao lado, um Centro de Urgências 24 horas e o terminal de ônibus.

“Já compramos o terreno, na rua João Goulart, fizemos os projetos e abrimos a licitação para começar as obras da Regional Tatuquara, do Centro de Urgências 24 horas e do terminal”, explicou o prefeito na casa do motorista aposentado Lourival Clementino, de 65 anos.

Lourival agradeceu o prefeito pela creche onde a neta é atendida (CMEI Hermes Macedo) e pela atenção que ele e a esposa recebem dos agentes comunitários de saúde, por conta de sua idade avançada e da dificuldade de visão que tem, por conta de uma diabetes. “Ela vem sempre aqui pra ver como eu estou. Quando está difícil para enxergar, eles trazem até remédios, insulina e a fita para medir a glicose”, contou Lourival ao prefeito.

O aposentado, vive há sete anos na rua Lydia Girardi Bertholdi, também ficou sabendo que a rua Lydia Girardi Bertholdi, onde ele mora, vai ganhar asfalto novo também. “Vamos passar com a recicladora de asfalto aqui, para fazer um pavimento forte para ficar mais confortável para quem anda de ônibus”, disse Luciano.

Nas conversas com moradores, durante a caminhada, Luciano Ducci recebeu diversas sugestões de melhorias para a região, como asfalto, pedidos de instalação de lombada, vagas em creches e academia de musculação ao ar livre. Também recebeu muitos elogios.

A operadora de máquinas Maridalva Costa reis, de 28 anos, cumprimentou o prefeito com a filha de 1 ano e meio no colo. Raíssa é uma das candidatas às vagas do CMEI Itqaqui, que está abrindo as portas, com 200 vagas. Ela contou que veio do Maranhão com o marido e que aqui encontrou emprego fácil. “Gostei muito desta cidade, que acolhe todo mundo. E estou gostando de ver o trabalho do prefeito”, disse ela.

Beto Richa viabiliza Hospital Pronto-Socorro na região Norte de Curitiba

O governador Beto Richa criou a comissão técnica para a construção de um Hospital Pronto-Socorro na região Norte de Curitiba. O projeto envolve o Hospital Pequeno Príncipe, Prefeitura de Curitiba e Associação Eunice Weaver do Paraná. O investimento será de R$ 100 milhões.
Será construído o Hospital Geral Metropolitano, com pronto-socorro adulto e pediátrico, e o Centro de Especialidades Regional. O complexo de saúde atenderá a população da capital e das cidades Almirante Tamandaré, Colombo, Piraquara e Pinhais. 
O hospital terá 250 leitos - 60 para UTI e cinco centros cirúrgicos. O centro de especialidades realizará consultas e exames nas áreas de maior demanda de atendimento. “Demos o primeiro passo para a concretização de uma reivindicação antiga da população da grande Curitiba", disse Richa.

O hospital será construído numa área de 165 mil metros quadrados, localizado ao lado da Base Aérea do Bacacheri. O terreno pertence à instituição filantrópica Associação Eunice Weaver e foi cedido em comodato ao Complexo Hospital Pequeno Príncipe.


quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Programa Luciano Ducci 40

O prefeito Luciano Ducci fala no programa eleitoral dos avanços na area de ação social na prefeitura de Curitiba. Confira!

Na Cúria, Luciano destaca avanços sociais e compromisso com os pobres

O prefeito Luciano Ducci, candidato pela Coligação Curitiba Sempre na Frente, disse, na noite de quarta-feira (5), em encontro de  candidatos na Cúria Metropolitana de Curitiba, que trabalha para melhorar a vida das famílias curitibanas, em especial das pessoas mais pobres.

Falando para padres e leigos da Igreja Católica, Luciano afirmou que, na próxima gestão, vai reduzir a miséria e retirar 10 mil famílias em áreas de risco na cidade. “Como cristão, olho para quem mais necessita. No meu plano de governo, há o compromisso de retirar as famílias da beira do rio e continuar com os programas sociais, que ajudaram a reduzir em 65% a pobreza de Curitiba, nos últimos seis anos”, disse o prefeito.

Luciano disse que vai avançar ainda mais nas áreas de educação, saúde e habitação. Luciano foi o prefeito que mais abriu vagas em creches na história de Curitiba, atendendo 10 mil crianças. “E vamos abrir mais 15 mil vagas, zerando a fila de 0 a 3 anos e atendendo a demanda de 4 a 5 anos”, disse.

O prefeito também lembrou que a cidade vai ganhar mais cinco novas escolas municipais e duas escolas especiais, com terminal especial para atender a região sul da cidade. E, em parceria com o governo Beto Richa, serão construídas mais três escolas estaduais na cidade.

Curitiba também terá mais 20 Unidades de Saúde e três Centros de Urgências Médicas 24 horas. Outro compromisso do plano de governo é a construção do Hospital da Zona Norte, para atender Curitiba e Região Metropolitana.

Na área de habitação, Luciano vai atender as famílias que vivem na beira de rios. Desde 2005, foram atendidas 40 mil famílias, com regularização de imóveis, construção de apartamentos e retirada de pessoas de áreas de risco.

Outro programa destacado por Luciano é o Ecocidadão, que incentiva o cooperativismo, oferece condições de dignas de trabalho e melhora a renda de famílias de catadores de materiais recicláveis. Até agora a cidade conta com 13 barracões de Ecocidadão. Outras seis unidades estão em construção e ano que vem serão mais sete. Em outubro próximo começa a ser distribuídos carrinhos elétricos para melhorar ainda mais o trabalho dos catadores.

Participaram do encontro, o arcebispo de Curitiba, Dom Moacyr Vitti, e o bispo auxiliar de Curitiba, dom Rafael Biernarski.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

“As mentiras deslavadas do PT”, análise do ITV

Pode parecer o maior pleonasmo da paróquia, mas não custa repetir: oposição existe para se opor. O que em qualquer democracia madura do mundo é tratado com naturalidade, no Brasil da era petista transformou-se em heresia. É espantoso como o partido que é réu no processo que investiga o maior escândalo de corrupção da história política do país reage às críticas: à base de muita lorota.

A função de quem, pela vontade das urnas, não foi escolhido para governar é fiscalizar, apontar equívocos e desacertos e sugerir alternativas. Até que a próxima eleição chegue, e o eleitor novamente se manifeste, é este o papel que cabe aos partidos de oposição. É esta a tarefa a que eles devem se dedicar, diuturnamente. Democraticamente.

Mas o exercício da crítica incomoda bastante o PT. O partido de Lula, Dilma e José Dirceu convive pessimamente com o contraditório, tem horror à contestação e lança-se com faca nos dentes a trucidar qualquer obstáculo que se interponha no caminho de sua busca pela hegemonia a qualquer preço. Excede-se numa luta que deveria respeitar, regiamente, os preceitos da democracia.

As armas que o PT maneja com incomparável maestria são a mentira e a mistificação. O partido dos mensaleiros é pródigo em transmutar-se de réu em vítima, de acusado em acusador. É o que está ocorrendo agora, por exemplo, quando a mais alta corte da Justiça brasileira tem sentados no banco dos réus dez petistas, alguns deles da linha de frente partidária nos seus mais de 30 anos de existência.

Qualquer partido decente deveria envergonhar-se da situação. Mas o PT dá-se até ao descaro de escalar o presidente da legenda para arrostar o Supremo Tribunal Federal e acusar os ministros de estarem sendo partícipes de um “golpe grande”, como disse Rui Falcão anteontem.

Onde foi feita a afirmação? Em Osasco. Em qual circunstância? Durante evento em que os petistas foram obrigados a lançar um novo candidato a prefeito depois que o original foi condenado a passar alguns anos na cadeia por corrupção, peculato e lavagem de dinheiro. É este partido que exibe os dentes e parte para cima de seus adversários, com a maior sem-cerimônia do mundo…

A esperteza não é utilizada pelo PT apenas como arma do embate eleitoral. O partido usa de muita fancaria também para transmudar péssimas realidades em feitos extraordinários, por meio de ilusionismos embalados em vistosas doses de marketing. O mundo petista é muito diferente do mundo real, do mundo que gente de carne e osso tem de enfrentar todos os dias.

Veja-se o que está ocorrendo agora no processo de privatização da infraestrutura viária do país. Foram anos de recusa petista a admitir a solução, ao mesmo tempo em que as condições logísticas do país iam para o buraco, não decolavam ou trafegavam em marcha lenta. Eis que, numa mágica, o PT alardeia agora que privatiza sem privatizar, apenas para dizer que não tisnou suas carcomidas bandeiras ideológicas.

Indo a fundo, ver-se-á que o PT não só privatiza, como o faz como nem o privatista mais renhido jamais ousou fazer. Pelos jornais de hoje, fica-se sabendo que a presidente Dilma Rousseff encontra-se num vai-e-vem infindo sobre o que fazer com a concessão dos aeroportos, principalmente Galeão e Confins, e que, para atrair os desejados operadores estrangeiros, tenciona entregar-lhes o negócio praticamente de bandeja.

“Para convencer as grandes operadoras, o governo oferece ao futuro sócio da Infraero total liberdade para administrar os dois aeroportos”, informa a Folha de S.Paulo. Note-se que o lance desesperado é agora cogitado pelo governo porque o interesse dos investidores em serem sócios minoritários da Infraero, num modelo de Professor Pardal inventado pelo Planalto, é quase nulo.

N’O Globo, Ilimar Franco revela mais: as concessões serão entregues a preço de banana, como se estivessem sendo ofertadas na hora da xepa. “Para serem sócios na empreitada, os estrangeiros terão de entrar só com know-how para administrar os aeroportos. O investimento será mínimo”. O modelo assemelha-se ao que foi usado cinco anos atrás por Lula na concessão de sete lotes de rodovias federais: tudo muito baratinho, tudo muito ordinário, com menos de 10% dos investimentos previstos realizados até hoje.

Outro retumbante, ultraprofundo trololó é a dita autossuficiência brasileira em petróleo. Com o sucateamento imposto nos últimos anos pelo PT à Petrobras, o Brasil compra combustível como nunca no exterior e vê a produção interna e a produtividade da sua maior empresa mergulharem ao fundo do poço, como mostram várias reportagens publicadas hoje pela Folha.

O que vale apena reter de tudo isso é que o PT e suas lorotas devem ser contrapostos com destemor. Só numa situação em que as instituições vão sendo postas de pernas para o ar e os valores são corrompidos sob as bênçãos de quem se arvora ser líder máximo da nação, é que um partido com tamanha ficha corrida mete tanto medo. A cada mentira deslavada que os petistas contarem, serão rebatidos com verdades cada vez mais incômodas.

“Luciano Ducci vai criar centro de educação integral no Pantanal”, diz Fernanda Richa

O prefeito Luciano Ducci, candidato pela Coligação Curitiba Sempre na Frente, vai criar um Centro Educacional em Tempo Integral na Vila Pantanal, além de um Espaço Saúde. A informação foi repassada aos moradores da região durante encontro de Fernanda Richa, com lideranças do Pantanal.

A ex-secretária estadual da Família e Desenvolvimento Social percorreu toda a região da Vila Pantanal, levando as propostas de Luciano Ducci. "A gente fica muito feliz em saber as novidades de Luciano. A cada dia nossa vila ganha mais dignidade e respeito", disse Elias Fernandes de Oliveira.

Fernanda disse que junto com estes novos equipamentos Luciano, em parceria com Beto Richa, está investindo cerca de R$ 17 milhões em construção de casas, pavimentação de todas as ruas e sistema de saneamento de esgoto e de água.

"É a continuidade de um trabalho que juntos começamos em 2005, quando o Beto Richa era prefeito e o Luciano Ducci o seu vice. Agora haverá mais benfeitorias, vamos somar esforços e trazer mais qualidade de vida aos moradores", disse Fernanda.

A Vial Pantanal já ganhou o Centro Municipal de Educação Infantil Pantanal, Escola Municipal Arnaldo Alves Cruz e a Unidade de Saúde Pantanal.


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Jovens e a política: porque é importante participar

Eles pertencem a um universo marcado pela presença das novas tecnologias, dominam as últimas ferramentas disponibilizadas pelos aficcionados do mundo digital. Embora estejam em busca de causas sociais para se engajarem, vislumbrem a ascensão no mercado de trabalho e a independência financeira de forma cada vez mais precoce, por outro lado, ainda demostram pouca sintonia com a política. É o que revela recente pesquisa de opinião feita pela Federação do Comércio do Rio Grande do Sul (Fecomércio), por meio da consulta a 800 jovens, em 31 cidades gaúchas, nascidos entre 1982 e 2000.

Os dados, divulgados em matéria do jornal Zero Hora, apontam que para 82,5% dos entrevistados, o maior desejo é a autonomia financeira, sinônimo de educação de qualidade e oportunidades de geração de emprego e renda. Ou seja, se o trabalho é essencial em suas vidas, a política ainda não ocupa o mesmo patamar. Segundo a pesquisa, mais de 90% dessa geração não se interessa por política.

Trata-se, sem dúvida, de algo preocupante. Afinal, a política faz parte da vida de cada um de nós. Somos, em tese, seres políticos. Vivenciamos a política nas mais diversas esferas, nas relações familiares, base de tudo, junto à comunidade, no ambiente de trabalho e na sociedade. A política permeia as relações humanas. Sem política, não teremos bons governos, nem a concepção e execução de projetos voltados à melhoria das condições de educação, saúde, transporte e segurança.

Estamos a poucos meses de comparecermos às urnas. Muito mais que um ato de cidadania, votar e depositar esse voto de confiança em um (a) candidato (a) que tenha mais afinidade com as questões políticas de uma comunidade, é fundamental para continuarmos a repisar as boas práticas.

Por isso, é preciso investir ainda mais na conscientização e na formação de nossos jovens, em mudanças de padrões de comportamento e atitudes para que eles tenham motivação e concebam a política como uma ferramenta fundamental de construção.

Em outubro, a previsão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é que mais de um milhão de jovens votem pela primeira vez. Já o total de candidatos, com idade entre 17 e 24 anos, ultrapassa 17 mil jovens os quais pleiteiam vaga no executivo e no legislativo municipal.

Uma parcela significativa da sociedade, eleitores ou candidatos, que muito têm a acrescentar nesse processo reiterar a força da juventude num país que ainda carece de políticas públicas eficientes, capazes de promover mudanças e consolidar novos cenários.

Da assessoria de comunicação do PSDB

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

“Herança pesada”, por Fernando Henrique Cardoso

Artigo do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso publicado na edição deste domingo (2) de O Globo

A presidenta Dilma Rousseff recebeu uma herança pesada de seu antecessor. Obviamente, ninguém é responsável pela maré negativa da economia internacional, nem ela nem o antecessor. Mas há muito mais do que só o infortúnio dos ciclos do capitalismo.

Comecemos pelo mais óbvio: a crise moral. Nem bem completado um ano de governo, e lá se foram oito ministros, sete dos quais por suspeitas de corrupção. Pode-se alegar que quem nomeia ministros deve saber o que faz. Sem dúvidas, mas há circunstâncias. No entanto, como o antecessor jogou papel eleitoral decisivo, seria difícil recusar de plano seus afilhados. Suspeitas, antes de se materializarem em indícios, são frágeis diante da obsessão por formar maiorias hegemônicas, enfermidade petista incurável.

Mas não foi só isso: o mensalão é outra dor de cabeça. De tal desvio de conduta a presidente passou longe e continua se distanciando. Mas seu partido não tem jeito. Invoca a prática de um delito para encobertar outro: o dinheiro desviado seria “apenas” para o caixa dois eleitoral, como disse Lula em tenebrosa entrevista dada em Paris, versão recém reiterada ao The New York Times. Pouco a pouco, vai-se formando o consenso jurídico, de resto já formado na sociedade, de que desviar dinheiro é crime, tanto para caixa dois como para comprar apoio político no Congresso. Houve mesmo busca de hegemonia a peso de ouro alheio.

Mas não foi só isso que Lula deixou como herança à sucessora. Nos anos de bonança, em vez de aproveitar as taxas razoáveis de crescimento para tentar aumentar a poupança pública e investir no que é necessário para dar continuidade ao crescimento produtivo, preferiu governar ao sabor da popularidade. Aumentou os salários e expandiu o crédito, medidas que, se acompanhadas de outras, seriam positivas. Deixou de lado as reformas politicamente custosas: não enfrentou as questões regulatórias para acelerar as parcerias público-privadas e retomar as concessões de certos serviços públicos. A despeito da abundância de recursos fiscais, deixou de racionalizar as práticas tributárias, num momento em que a eliminação de impostos poderia se fazer sem consequências negativas: a oposição conseguiu suprimir a CPMF, cortando R$ 50 bilhões de impostos, e a derrama continuou impávida.

É longa a lista do que faltou fazer quando seria mais fácil. Na questão previdenciária, o único “avanço” não se concretizou: a criação de uma previdência complementar para os funcionários públicos que viessem a ingressar depois da reforma. A medida foi aprovada, mas sua consecução dependia de lei subsequente, para regulamentar os fundos suplementares, que nunca foi aprovada. As centenas de milhares de recém-ingressados no serviço público na era lulista, continuaram a beneficiar-se da regra anterior. Foi preciso que novo passo fosse dado pelo governo atual para reduzir, no futuro, o déficit da Previdência. Que dizer, então, de modificações para flexibilizar a legislação trabalhista e incentivar o emprego formal? A proposta enviada pelo meu governo, com esse objetivo, embora assegurando todos os direitos trabalhistas previstos na Constituição foi retirada do Senado pelo governo Lula em 2003. Agora é o próprio Sindicato Metalúrgico de São Bernardo do Campo que pede a mesma coisa…

Mas o “hegemonismo” e a popularidade à custa do futuro forçaram outro caminho: o dos “projetos de impacto” como certos períodos do autoritarismo militar tanto prezaram. Projetos que não saem do papel ou, quando saem, custam caríssimo ao Tesouro e têm utilidade relativa. O exemplo clássico foi a formação a fórceps de estaleiros nacionais para produzirem navios tanque para a Petrobras (pagos, naturalmente pelos contribuintes, seja através do BNDES, seja pelos altos preços desembolsados pela Petrobras). Depois do lançamento ao mar do primeiro navio, com fanfarras e discursos presidenciais, passaram-se meses para descobrir-se que o custo não fez jus a tanta louvação. Que dizer dos atrasos da transposição do São Francisco ou da Transnordestina, ou ainda da fábrica de diesel à base de mamona? Tudo relegado aos restos a pagar do esquecimento.

O que mais pesa como herança é a desorientação da política energética. Calemos sobre as usinas movidas “a fio d”água”, cuja eletricidade para viabilizar o empreendimento terá de ser vendida como se a produção fosse firme o ano inteiro e não sazonal. Foi preciso substituir o companheiro que dirigia a Petrobrás para que o país descobrisse o que o mercado já sabia, havendo, reduzido quase pela metade o valor da empresa. O custo da refinaria de Pernambuco será dez vezes maior do que previsto; há mais três refinarias prometidas que deverão ser postergadas ad infinitum.O preço da gasolina, controlado pelo governo, não é compatível com os esforços de capitalização da Petrobrás. Como consequência de seu barateamento forçado – que ajuda a política de expansão ilimitada de carros com a coorte de congestionamentos e poluição –, a produção de etanol se desorganizou a tal ponto que estamos importando etanol de milho dos Estados Unidos!

Com isso tudo e apesar de estarmos gastando mais divisas do que antes com a importação de óleo, o presidente Lula não se pejou em ser fotografado com as mãos lambuzadas de petróleo para proclamar a autossuficiência de produção, no exato momento em que a produtividade da extração se reduzia. No rosário de desatinos, os poços secos, ocorrência normal neste tipo de exploração, deixaram de ser lançados como prejuízo, para que o país continuasse embevecido com as riquezas do pré-sal, que só se materializarão quando a tecnologia permitir que o óleo seja extraído a preços competitivos, que poderão se tornar difíceis com as novas tecnologias de extração de gás e óleo dos americanos.
É pesada como chumbo a herança deste estilo bombástico de governar que esconde males morais e prejuízos materiais sensíveis para o futuro da nação.