terça-feira, 1 de julho de 2014

Cida Borghetti Candidata a Vice de Beto Richa



Beto Richa apresenta a deputada federal Cida Borghetti como candidata a vice para o Governo do Paraná, na manhã desta terça-feira (01), na sede do PSDB em Curitiba.

“É uma grande honra fazer parte desta nobre missão, representando as mulheres, as famílias paranaenses e todo interior do estado. Agradeço por fazer parte deste novo momento vivido pelo nosso estado, da continuidade do Novo Paraná, que tantos benefícios trouxe às famílias paranaenses.” Cida Borghetti

#ParanáQueAcredita #SouBeto #SouBetoSouCida #SouAécio #AécioAloysioMudaBrasil

domingo, 29 de junho de 2014

Paranaenses Prestigiam Convenção Estadual do PSDB-PR



Em convenção que reuniu cerca de 5 mil pessoas na manhã deste domingo, em Curitiba, o PSDB do Paraná confirmou o governador Beto Richa como candidato a reeleição.

“Quero continuar a fazer um governo democrático, justo, honesto, um governo que não precisa usar da truculência para se impor. Não podemos deixar que o Paraná caia de novo em mãos erradas”, afirmou Richa, ao lado de sua esposa, Fernanda, de seus filhos, Marcello, André e Rodrigo, de seus irmãos, Adriano e Pepe Richa, e da mãe, Arlete. Após a convenção, Richa recebeu o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, em almoço em restaurante no bairro de Santa Felicidade.

Richa citou os avanços conquistados pelo Paraná em menos de quatro anos de governo, como a redução da pobreza ao menor nível já registrado no Estado, as conquistas na educação, na saúde e na segurança e a volta dos grandes investimentos ao Paraná. “Tenho orgulho por tudo o que já conquistamos, por conseguir devolver ao Paraná a autoestima e o desejo de retomar o progresso”, afirmou Richa.  “Conseguimos fazer, em três anos e meio, muito mais do que se fez nos oito anos anteriores.”

O senador Alvaro Dias, também candidato à reeleição, lembrou que a economia no Paraná cresceu o dobro que a do Brasil em 2013. “Com Beto Richa no governo, o Paraná é um exemplo nacional de desenvolvimento. A mudança que está acontecendo aqui precisa acontecer em todo o País”, disse Dias.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Valdir Rossoni, destacou que o Paraná voltou a ter credibilidade e que Beto Richa está fazendo um governo livre de corrupção.

Líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Ademar Traiano citou as realizações de Beto Richa para o crescimento local, como a valorização dos policiais, que têm o maior salário do Brasil. “De um lado está o Paraná do repeito construído por Beto Richa. Do outro, o Paraná do retrocesso. Não podemos voltar atrás”.

Durante a convenção, também foram exibidas mensagens de apoio de Fernando Henrique Cardoso, José Serra e Geraldo Alckmin, lideranças nacionais do PSDB.  



Richa e Aécio

Em almoço no restaurante Madalosso, em Curitiba, Aécio Neves destacou a amizade e a admiração que tem por Beto Richa. “É um dos melhores gestores públicos do Brasil, que deve continuar à frente do governo para que o Paraná possa continuar crescendo”, disse Aécio.

O candidato à Presidência pelo PSDB também lembrou a perseguição sofrida pelo Paraná por parte do governo federal. “Temos um um governo centralista, de costas para o Brasil, e um dos maiores exemplos é o que é feito com o Paraná, afirmou Aécio.




quarta-feira, 25 de junho de 2014

26 anos de PSDB!



"É um enorme orgulho fazer parte do partido que hoje representa os mais altos valores democráticos e que se apresenta, sempre, como o guardião das liberdades tão duramente conquistadas pelo povo brasileiro. Parabéns a todos os brasileiros de espírito democrático. Parabéns ao nosso PSDB!"

Paulo Krüger,
Cientista Político e Presidente da Juventude do PSDB de Curitiba.

Convite - Convenção Estadual do PSDB

No próximo domingo (29/06), na sede social do Paraná Clube, 08:30! Todos convidados para a nossa convenção! #SouBeto #PSDB



terça-feira, 24 de junho de 2014

AONDE ESTAMOS?

Uma pergunta tem rondado os curitibanos: A que ponto chegamos? Curitiba já foi referência em assistência social. Uma ampla rede de atenção, proteção e promoção social foi construída em nossa cidade e se consagrou modelo para o país. Um sistema integrado, focado no auxílio às pessoas em condições de risco e baseado em atenção social plena, com promoção da saúde, apoio habitacional,  políticas de geração de emprego, dentre outros programas de atuação. Um conjunto de ações executadas pela Prefeitura de Curitiba por meio da Fundação de Ação Social (FAS) em conjunto com entidades sociais e instituições diversas da sociedade civil.

Uma das marcas de Curitiba, que se tornou parâmetro nacional no assunto. Uma intrincada gama de estratégias de ações, voltada para o desenvolvimento social, cuja eficácia sempre foi evidente. Graças a esse sistema Curitiba se tornou a capital brasileira que mais reduziu a pobreza, consagrou-se como referência em qualidade de vida e foi a primeira cidade do Brasil a cumprir a meta do milênio estipulada pela ONU para redução da desigualdade social. No ano de 2011 Curitiba estava preparada para erradicar a pobreza segundo estudos da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Poucas cidades em nosso país podem se considerar detentoras de condições de desenvolvimento humano e todas, em maior ou menor grau, basearam-se em alguma experiência advinda de Curitiba. Desenvolvimento Social já foi um dos sinônimos de Curitiba, assim como meio ambiente, saúde e planejamento urbano.

E é justamente por isso que hoje os cidadãos curitibanos estão se fazendo aquela pergunta que abriu esses texto. Porque esse contexto de igualdade de oportunidades que vinha se aprimorando e se fortalecendo em nossa cidade minguou (para não dizer que desapareceu). O ambiente de mobilização sincronizada entre a Prefeitura de Curitiba, sociedade organizada, cidadãos atuantes e entidades proativas, em geral, se desarticulou.

Tomemos como exemplo os estragos decorrentes das chuvas nas últimas semanas. Logicamente, não é culpa de ninguém o fato de que choveu muito mais do que o normal e o volume pluviométrico alcançou níveis históricos. Até porque isso aconteceu na região Sul inteira do país. Uma calamidade, fruto das intempéries da natureza. Contudo, a ingerência que impossibilitou a atuação rápida e efetiva de organismos de atenção social em Curitiba é consequência direta do despreparo da administração municipal.

Basta ver a terrível situação e a péssima atuação da Vice-Prefeita Miriam Gonçalves, segunda no comando da Prefeitura. Ao visitar o bairro do Tatuquara, uma das áreas atingidas, a Vice ouviu de um dos moradores o que eles precisavam. Tudo o que pediam eram duas pessoas da Defesa Civil para orientar os moradores da região no momento caótico das enxurradas. Algo que a Prefeitura foi incapaz de providenciar. A inaptidão da Vice-Prefeita de Gustavo Fruet era tanta que ela sequer sabia o que falar ao morador.

Não bastasse isso, a insuficiência da Vice-Prefeita em conduzir a situação ainda piorou. Discutiu com um Vereador, que também estava no local, e o acusou de não estar ajudando. Detalhe: o Vereador estava no local desde o momento em que a chuva havia causado os estragos. Encharcado, o Vereador ajudava os moradores a se organizar. A Vice, que o acusou de não ajudar, só chegou com sua comitiva depois que a chuva já havia baixado. Em tom ameaçatório, a Vice avisou o Vereador: "baixa a voz". Ao que parece, um cidadão não pode mais conversar com uma representante da Prefeitura para explicar o trabalho que estava realizando em apoio à própria Prefeitura.

A pendenga toda foi noticiada pela imprensa e o vídeo da (falta de) atuação da equipe da Prefeitura, com a discussão envolvendo a Vice-Prefeita, econtra-se neste link:


Após a encrenca, a Vice-Prefeita achou mais apropriado viajar. Embarcou para uma viagem internacional. Os curitibanos que se resolvam. Com a ajuda que deu no vídeo talvez até ajude mais não estando em Curitiba.

Curitiba, que já foi modelo em assistência social, com grande capacidade de rápida resposta a situações como essa, tornou-se símbolo da falta de tato dos gestores e incapacidade de agir. Como a atual gestão da Prefeitura chegou nessa situação? Difícil dizer. Ao que parece, a articulação político-partidária se tornou prioridade sobre a articulação organizacional. Ameaçar quem faz parece ser mais importante do que simplesmente ir lá e fazer.

A que ponto chegamos? Eis a pergunta. Talvez nem mereça resposta. Afinal, outras indagações merecem maior preocupação dos curitibanos. O que esperar de uma gestão como essa? Não sabemos, mas definitivamente não serão boas notícias. Pode piorar? A ineficiência da administração da Prefeitura significa que sim!


Evandro Sbalcheiro Mariot
Médico, advogado e Secretário Geral da Juventude do PSDB do Paraná


sexta-feira, 13 de junho de 2014

Convenção Nacional do PSDB



Amanhã (14/06), às 9h, será realizada a Convenção Nacional do PSDB em São Paulo - Expo Center Norte.

#SomosAécio #PRestáComAécio #JPSDBunida #AécioDigital

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Por que estamos aqui?


O Brasil inteiro clama por mudanças e os motivos são óbvios. De tão óbvios que são, não acredito ser necessário dedicar-me aqui a fazer um resgate de todos os assuntos que exigem estas mudanças emergenciais. Neste espaço vou me propor apenas a esclarecer o que o PSDB tem a oferecer ao Brasil.

Nada é mais importante do que zelarmos pela nossa liberdade no momento em que assistimos, novamente, sua democracia ser ameaçada pelo populismo autoritário em pleno século XXI. O PSDB oferece ao Brasil a alternativa da escolha por um partido sem a subordinação ideológica atrasada, sem a obsessão pelo poder e sem o messianismo característico dos autoritários.

O PSDB oferece ao Brasil a defesa intransigente das instituições mantenedoras do Estado Democrático de Direito, a alternativa moderada e pautada no diálogo e sem maniqueísmos. Por mais imperfeito que o partido possa ser, não estamos aqui para vender ilusões ou mentiras escabrosas para alcançarmos e nos perpetuarmos no poder.

Estamos aqui para oferecer um partido plural, capaz de receber dentro de sua própria estrutura pessoas com pensamentos divergentes, mas capazes de promover o bom diálogo respeitoso acerca dos desafios a serem encarados pelo país.

Estamos aqui para garantir que todos possam dialogar, concordar e discordar, sem que a imposição arbitrária e ideológica acabe por impedir que sejamos capazes de compreender a dinâmica sociedade na qual vivemos. Uma sociedade que passa por mudanças cada vez mais rápidas e que exige que todos nós sejamos capazes de nos adaptarmos para vencermos sempre os novos desafios que se impõem.

Estamos aqui para oferecer à sociedade brasileira um espaço capaz de aprofundar a democracia e avançar no processo civilizatório o qual nossa sociedade necessita.

O PSDB serve, desde sua fundação, ao sonho de construirmos uma sociedade livre, na qual as relações humanas sejam pautadas no respeito mútuo entre todos os cidadãos, independente de suas mais intensas divergências. A cultura do respeito é imperativa no PSDB, e aqui jamais será dado espaço a radicalismo de qualquer natureza, pois entendemos que foram a partir dos radicalismos que nasceram - e que sobrevivem até hoje - as maiores violências, covardias e infâmias protagonizadas pela humanidade.

O PSDB entende que, não só o Brasil, mas o mundo precisa de mecanismos capazes de manter sempre afastados do poder os que pretendem dividir a humanidade. Pretendemos que no lugar destes, o poder esteja sempre nas mãos dos que promovem a união e a convivência livre e pacífica tão sonhada pelos seres humanos.

Por fim, estamos aqui em 2014 para oferecer ao Brasil a possibilidade de retomarmos a construção desta sociedade, pois hoje o Brasil está cada vez mais distante destes velhos sonhos e desejos de quase 200 milhões de brasileiros.

Pela liberdade, pela democracia, e pela tão sonhada alegria de ser brasileiro com dignidade, o PSDB está aqui!


Paulo Krüger,
Cientista Político e Presidente da Juventude do PSDB de Curitiba.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Vice-Prefeita Miriam Gonçalves (PT) em Paris?

"Existem diferenças bem claras entre as administrações municipal e estadual. A principal delas estamos vendo neste difícil momento para a população, que está sofrendo por conta das fortes chuvas. Enquanto o Beto e a Fernanda Richa percorrem todo o estado e a capital para ouvir e levar respostas à população, na prefeitura de Curitiba acabamos por assistir a baixaria promovida pela vice-prefeita, Miriam Gonçalves (PT) que, logo após as tragédias, demonstrou o seu absoluto descaso com a população mais carente da cidade, arrumando as malas e partindo a Paris. Partidos e políticos não são todos iguais como alguns querem fazer crer. A diferença é visível e não é pouca."

Link: http://www.bocamaldita.com/1119802161/mirian-vai-paris/


ITV - PEC 406/09 do Deputado Alfredo Kaefer (PSDB-PR)


Petistas ignoram comissão que debate transferência de recursos, diz Kaefer.

A comissão especial instalada para discutir a PEC 406/09, de autoria do deputado Alfredo Kaefer (PSDB-PR), está enfrentando dificuldades nos trabalhos devido à evasão dos deputados petistas das reuniões. “É um assunto de interesse de todo o povo brasileiro. Estamos debatendo aqui se os nossos municípios receberão, ou não, por parte do governo federal, uma distribuição digna de recursos, para que possam investir em mais saúde, educação, infraestrutura”, afirmou o tucano.

Também vice-presidente da comissão, Kaefer explica que o desinteresse da sigla nas discussões é o reflexo da situação atual vivida pelos municípios.

“O governo federal tem feito repasses insuficientes, deixando a população brasileira com serviços precários. Nossa PEC é estruturante e representa uma reforma para o pacto federativo. Até se fala em um reajuste do FPM, o Fundo de Participação dos Municípios, de 2%, porém, isso é muito pouco. Precisamos repensar a distribuição como um todo. Essa é uma grande oportunidade”, disse Kaefer.

A proposta da PEC 406/09 é corrigir uma distorção na partilha dos recursos entre os entes federados, com aumento na participação dos municípios nas receitas de ICMS (de 25% para 30%) e do FPM (21,5% para 24,5%). A União também deverá repassar às prefeituras 23,5% da arrecadação com contribuições sociais para investimento em saúde. “Isso permitirá um desafogamento das finanças municipais, o que seria revertido em benefícios para a população”, destacou Kaefer.

Fonte: https://www.facebook.com/itvpr

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Mobilização!

Em função dos danos provocados pelas fortes chuvas, o Governo do Paraná e a Defesa Civil iniciaram uma campanha de doação de colchões, cobertores, fraldas, água, materiais de higiene e de limpeza, roupas e cestas básicas. Toda ajuda é válida. As doações podem ser entregues nas unidades da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de qualquer cidade do Paraná. Os paranaenses precisam da sua ajuda!

Saiba mais em: www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr


domingo, 8 de junho de 2014

Utilidade Pública - Emergência!

O governador Beto Richa realizou uma reunião extraordinária de trabalho no Palácio Iguaçu, com secretários, deputados estaduais e defesa civil, para analisar a situação atual e comandar um trabalho de ação imediata.

Medidas emergenciais foram determinadas para atender famílias afetadas nos municípios fortemente atingidos pelas chuvas:

A primeira providência será a liberação de R$ 6 milhões do VigiaSus para os municípios - R$ 800 mil para Curitiba - adquirirem medicamentos.

As aeronaves do governo continuarão operando em buscas e salvamentos, inclusive 2 helicópteros do Exército que auxiliam as operações em Guarapuava.

É determinação do governador que todas as ações necessárias nas áreas de saúde, assistência social e defesa civil sejam feitas para diminuir o sofrimento das famílias paranaenses.

As demais estruturas de governo atuam na recuperação de estradas, pontes, rodovias, no abastecimento de luz e água e no apoio aos micro e pequenos empreendedores.

A agenda do governador desta segunda-feira será totalmente destinada a percorrer as cidades atingidas.


sexta-feira, 6 de junho de 2014

quarta-feira, 4 de junho de 2014

O Novo "Velho Dilema" da Política Latino-Americana


No último mês, no seminário "Alternativas para a América Latina em tempos de escolhas", Fernando Henrique Cardoso falou sobre o novo fenômeno das democracias autoritárias emergindo no continente. A fala é oportuna e ilustra bem o atual momento da América Latina, que ainda pouco habituada à democracia, ao invés de consolida-la, parece novamente flertar com o autoritarismo populista que tanto atraso trouxe ao continente. O Brasil é parte deste todo que atravessa a difícil fase de, novamente, ter de conviver com "pais dos pobres", "milagres econômicos" e "lutas" contra inimigos imaginários dos grupos e partidos que detém o poder no país. Mais do que nunca, para a nossa geração e para as futuras, é imprescindível refletir sobre os rumos que o país está trilhando e quais seriam as possíveis e desastrosas consequências a serem experimentadas se não houverem mudanças nestes rumos o quanto antes. Isto tanto na política interna quanto externa. Este ano poderá ser de fundamental importância para escolhermos nossos caminhos. Basta escolhermos se será o caminho democrático, moderado e que entende que os nossos principais desafios estão em superar nossas próprias deficiências, ou se será o caminho da subordinação ideológica atrasada que, no poder,  esforça-se para novamente nos vender um "inimigo imaginário" e assim imputar-nos medo com o único objetivo de perpetuar-se no poder.

Paulo Krüger,
Cientista Político e Presidente da Juventude do PSDB de Curitiba.



terça-feira, 3 de junho de 2014

Encontro da 145ª Zonal do PSDB de Curitiba



No encontro regional do PSDB no Sítio Cercado, realizado na noite desta segunda-feira (2) em Curitiba, o governador Beto Richa destacou que a atual gestão estadual é a que mais investe na capital paranaense. “Quando eu era prefeito de Curitiba, o governo estadual não contribuía com nada. Agora estamos dando a atenção que Curitiba merece, com recordes de investimentos nas mais diferentes áreas”.

O governador ressaltou que foram investidos em Curitiba cerca R$ 100 milhões na recuperação de asfalto, mais de R$ 50 milhões na saúde e que a ampliação do efetivo da polícia militar e a compra de novos equipamentos e viaturas resultaram na diminuição de 35% dos casos de homicídios dolosos na capital. Além disso, a isenção do ICMS do óleo diesel e o repasse de subsídios, que apenas esse ano soma R$ 88 milhões, garantiram a manutenção da tarifa e a integração das linhas de ônibus com as cidades da região metropolitana assegurou a integração

“São investimentos que contribuem para a melhoria da qualidade de vida do curitibano e que também estamos realizando em todo o estado. Na área da saúde, por exemplo, fomos apontados pelo Ministério Público com um dos dois estados que realizaram os melhores investimentos e alcançaram os maiores resultados em todo país”, afirmou Beto Richa, que citou que o Paraná alcançou a maior redução de mortalidade materna e a menor taxa de mortalidade infantil de sua história.

Leia mais: http://bit.ly/1oRWXrU


segunda-feira, 2 de junho de 2014

Convite - 145ª Zonal do PSDB em Curitiba

A Juventude Tucana de Curitiba convida a todos para o evento de posse da executiva da 145ª Zonal do PSDB de Curitiba, hoje (02/06) às 19h, no Sítio Cercado.


sexta-feira, 30 de maio de 2014

Mais Policiais Militares em Curitiba, Maringá, Londrina, Cascavel e Ponta Grossa.



"Mais 362 policiais militares e bombeiros foram apresentados à população de Maringá. Esse grupo está pronto para atuar nas ruas e para zelar pela segurança das pessoas de bem. Desde o início do nosso governo, priorizamos a área da segurança pública e hoje posso afirmar que estamos cumprindo as metas estabelecidas pelo programa Paraná Seguro. Até o fim desta semana teremos mais 2500 policiais militares em Curitiba, Maringá, Londrina, Cascavel e Ponta Grossa e fecharemos 2014 com 10 mil novos homens incorporados ao afetivo da PM. É a maior contratação de profissionais da história do Estado num período de 4 anos. No governo anterior foram contratados três mil profissionais."


Fonte: www.facebook.com/BetoRichaOficial

quinta-feira, 29 de maio de 2014

O estrabismo e a miopia do governo federal, por Beto Richa


Cresce a descrença no governo federal. Os motivos? Estrabismo e miopia. 

A visão estrábica é um artifício usado para persuadir a sociedade brasileira de que tudo vai bem. Onde há um, o governo enxerga dois e tenta nos convencer de que essa ilusão de ótica é um fenômeno verdadeiro. 
A miopia não carece de maiores explicações. É um problema crônico que afeta por completo os atuais detentores do poder federal. Trata-se de uma gestão na qual ninguém consegue enxergar muito longe, a não ser para tirar algum proveito individual.

Essa visão reduzida e distorcida tem causado sérios danos ao País. E não são poucos. Um exemplo: no mesmo sentido do descontentamento generalizado na condução do País, decrescem os investimentos de empreendedores nacionais ou internacionais no setor industrial brasileiro.

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), durante o período da presidente Dilma a produção industrial, na maioria dos Estados, permaneceu estagnada, quando não caiu. O setor enfrenta má situação financeira e é pequena a perspectiva de crescimento no curto e no médio prazos.
A não ser por algumas intervenções pontuais, como a redução de impostos para ramos específicos, pouco se fez para apoiar este importante setor de nossa economia. O nível de emprego na indústria brasileira acumulou perdas por dois anos seguidos entre 2011 e 2013 e a produção fabril segue em baixa, reforçando a tese da desindustrialização do País levantada desde que o PT assumiu a presidência.

Apesar das distorções do governo, há oportunidades de atrair investimentos, pois empreendedores seguem acreditando no Brasil. Prova disso é o histórico processo de industrialização que vivemos no Paraná. Graças a uma política de incentivos inovadora, nosso Estado hoje recebe um dos maiores investimentos privados do País. É a nova fábrica da Klabin, projeto de R$ 8 bilhões.

A ele se somam outros R$ 22 bilhões que estão sendo aplicados por dezenas de empresas que acreditaram na condução de uma política séria de estimulo ao investimento produtivo. Dos R$ 30 bilhões atraídos ao Paraná em três anos, R$ 4 bilhões foram captados no mês passado, fruto de negociações com três grandes companhias.

O Grupo Petrópolis vai instalar uma cervejaria e uma maltaria no interior do Estado, além de assumir duas unidades de processamento de soja. O valor do investimento é de R$ 2,2 bilhões. A Volvo vai injetar R$ 1,2 bilhão na ampliação da fábrica paranaense e a Renault confirmou mais R$ 800 milhões no Complexo Airton Senna e a instalação de um centro logístico para a América Latina.

Este estágio de ampliação e diversificação do parque fabril paranaense cria 180 mil novas oportunidades de trabalho no Estado, a imensa maioria no interior. Esta é uma das nossas grandes conquistas, fruto de premissas como diálogo, respeito e segurança jurídica, que são a marca de nosso governo. 
Além de alterações da política fiscal, atuamos em mais quatro frentes: internacionalização e comércio exterior, infraestrutura e logística, capacitação de mão-de-obra e desburocratização. Com isso, foi possível reinserir o Estado na agenda dos investidores, da qual o Paraná ficou absolutamente afastado por quase uma década.

O Paraná não é uma ilha e, claro, é contaminado pela falta de visão no âmbito federal. Mas temos mostrado diferenciais. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) mostra que a produção industrial paranaense cresceu 18,4% de janeiro para fevereiro deste ano, ante a alta de 0,4% para a média nacional.

São números que revelam que quando se cria um ambiente propício ao investimento produtivo a economia reage. No Brasil, a lição que deveríamos estar fazendo é deixar de penalizar quem empreende. Para isso, é preciso olhar para frente e retirar obstáculos que não nos permitem alçar voos mais altos que o de uma galinha.

Os problemas que inibem maiores investimentos no País são conhecidos. Entre eles se destacam a alta carga tributária, falta de infraestrutura e de qualificação dos trabalhadores e as estratosféricas taxas de juros. 

O desalento é reforçado pela absoluta inércia do governo federal em tratar as demais reformas estruturantes. Se não transformarmos a realidade nacional, mesmo os Estados que têm bons indicadores, como é o nosso caso, sofrerão declínio. Este não é um vaticínio pessimista, é um alerta, pelo bem do Brasil.



Fonte: http://www.psdb-pr.org.br/noticias/o-estrabismo-e-a-miopia-do-governo-federal-por-beto-richa

Quem assombra o Brasil são os fantasmas do PT



* Ademar Traiano


O PT resolveu apelar para propagandas terroristas para tentar exorcizar o espectro da derrota. Fantasmas do passado estariam rondando os brasileiros e ameaçando voltar com um cortejo de males que o petismo teria erradicado. Só rindo.

Quem assombra o Brasil são os fantasmas da corrupção e incompetência do PT. Uma parte dessas entidades sobrenaturais está hoje na Papuda, mas, muitas delas, estão por aí dando sustos nas pessoas de bem. Não há patrimônio público seguro enquanto tais fantasmas petistas continuarem a assombrar o país.

Um exemplo da sobrenatural incompetência petista. O Brasil ganhou o selo internacional de erradicação da dengue em 1958 (56 anos atrás!). Por descuido, descaso e desleixo a doença voltou. Nos anos do PT ela se instalou de volta com toda a força. Entre 2002 e 2013, o Brasil bateu o recorde mundial de casos de dengue, com 7 milhões de pessoas infectadas.

E o que dizer dos PACs? Os vários Programas de Aceleração do Crescimento, que se tornaram piadas pelo fato que nunca cumprem qualquer espécie de cronograma, tem obras superfaturadas e muitas vezes não saem sequer do papel. O símbolo maior do PAC é a fantasmagórica transposição das águas do São Francisco.

O PAC só parece funcionar em Cuba (Programa de Aceleração de Cuba?). O BNDES já repassou mais de R$ 1 bilhão a empreiteira que está modernizando o Porto de Mariel, na ilha dos Castro. Um negócio tão nebuloso que sobre ele foi decretado em sigilo de 30 anos, sob a alegação que poderia "levantar questionamentos desnecessários".

E a Copa que deveria mostrar ao mundo a pujança do Brasil do PT e acabou sendo um mostruário das mazelas brasileiras? Das 167 metas programadas pelo Mundial, só 68 foram alcançadas. Os aeroportos que devem receber os turistas estrangeiros são exemplo tragicômico. A maioria não concluiu as obras, foram feitos vários puxadinhos, estão cobertos por goteiras e poeira.

No mesmo dia em que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que os turistas devem se sentir seguros no Brasil, sua ex-mulher e sua filha foram vítimas de uma tentativa de assalto. O fracasso na segurança pública é atestado por dados aterradores. Em 2012 o país registrou 56.337 homicídios. Em 13 anos da sangrenta Guerra do Vietnã os americanos tiveram 58.203 baixas...

Outro fantasma petista, talvez o mais assustador de todos, porque compromete o nosso futuro e o de nossos filhos, é a perda de competitividade. O Brasil perdeu mais três posições no ranking mundial de competitividade do IMD em 2014. Com isso, o Brasil se consagra entre as dez piores nações do mundo.

O Brasil ocupa na 54ª posição do levantamento, que conta no total com 60 países. O Brasil do PT só está à frente de Eslovênia, Bulgária, Grécia, Argentina, Croácia e Venezuela. O país perdeu 16 posições e saiu do nível mediano de países para figurar entre as nações menos competitivas do mundo.

Os países mais competitivos são Estados Unidos, Suíça, Cingapura, Hong Kong, Suécia, Alemanha, Canadá, Dinamarca e Noruega. A situação do Brasil assusta porque o país não apenas regride como perde pontos nas expectativas econômicas.

O desastre petista segue um roteiro bastante conhecido pelos economistas. Primeiro o país perde eficiência governamental, em infraestrutura e na dinâmica da economia. Essa catástrofe acaba contaminando o setor empresarial.

Muitas vezes as empresas são eficientes do portão para dentro, assim como o agronegócio brasileiro é competitivo da porteira para dentro, mas depois perde capacidade de competir por problemas de infraestrutura.

Quase todos os países latino-americanos, que seguem, em maior ou menor grau, o ridículo modelo bolivariano (uma espécie de esquerdismo-troglodita), perderam posições no ranking da competitividade. É a competitividade que vai determinar o futuro desses países.

O fato é que o Brasil tomou um caminho errado em 2002 e as consequências desse erro são cada vez mais evidentes. Já está mais que na hora de fazer uma correção de rota.


*Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB do Paraná e líder do governo na Assembleia Legislativa.
Fonte: http://www.traiano.com.br/noticia.php?idnoticia=1035

terça-feira, 27 de maio de 2014

Ativismo Eleitoral e Digital em São José dos Pinhais.

A Juventude Tucana de São José dos Pinhais convida a todos para a palestra de Ativismo Eleitoral e Digital, que acontece nesta terça-feira (27), às 19h.


segunda-feira, 26 de maio de 2014

Convite - Primeira Zonal do PSDB em Curitiba

Convidamos a todos para participarem do encontro regional e posse da executiva da Primeira Zonal do PSDB em Curitiba, que acontecerá nesta segunda-feira (26), às 19h, no Clube Urca.